Tamanho do texto

Além de poderem interferir na eficácia de preservativos, algumas substâncias tornam a região íntima mais propícia para infecções quando usadas como lubrificantes; veja o que você nunca deve usar

O ato sexual pode ser bastante desconfortável tanto para a mulher quanto para o homem caso não haja lubrificação suficiente. De acordo com a sexóloga Carla Cecarello, do site de relacionamentos C-date, a escassez de fluidos na região íntima feminina se deve a vários fatores, como menopausa, algumas doenças como diabetes e hipertensão e até mesmo a falta de excitação. Com isso, muitas pessoas recorrem a lubrificantes artificiais, seja para repor a lubrificação natural ou para deixar as coisas ainda melhores.

Na falta de lubrificantes artificiais, algumas pessoas recorrem a substâncias que podem causar problemas
Shutterstock
Na falta de lubrificantes artificiais, algumas pessoas recorrem a substâncias que podem causar problemas

Leia também: Falta de lubrificação prejudica o sexo; veja como estimular os fluidos naturais

A escolha de lubrificantes , porém, deve ser feita com cuidado. Carla afirma que produtos à base de água são os mais indicados, já que óleo e silicone podem interferir na eficácia do preservativo. Confira algumas coisas que você nunca deve usar como lubrificante:

Óleo de coco

Com propriedades nutritivas, o óleo de coco é queridinho na hora de recuperar cabelos danificados em casa ou hidratar a pele profundamente. Apesar de muitas mulheres terem um vidro do produto por perto, ele não deve ser usado na hora H; por ser um óleo, a substância pode interferir no látex da camisinha, deteriorá-la e deixar os parceiros suscetíveis a DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

Além de poder danificar a camisinha , o médico Jason James afirma à “Women’s Health” que usar produtos comestíveis na região íntima pode acabar causando infecções.

Leia também: Saiba como acabar com as dores na hora do sexo

Cremes

via GIPHY

A composição de cremes hidratantes pode ser prejudicial para a região íntima, causando inchaço e irritação generalizada.

Vaselina

Apesar de ser uma substância bastante escorregadia, a vaselina não é indicada para melhorar a lubrificação íntima, já que a substância é à base de petróleo e pode causar infecções. Um estudo publicado no periódico “Obstetrics and Gynecology” descobriu que mulheres que usam substâncias à base de petróleo como lubrificante estão mais propensas a contrair vaginose bacteriana. Além disso, assim como substâncias à base de óleo, a vaselina também pode acabar com a ação da camisinha.

Óleo de bebê

Além de poder danificar o preservativo, o óleo de bebê também está ligado a infecções. O mesmo estudo encontrou uma relação entre o uso do produto para ajudar na lubrificação vaginal e a presença da bactéria causadora da candidíase na região íntima.

Leia também: Ginecologista lista os erros mais comuns no uso da camisinha

Saliva

via GIPHY

A saliva é viscosa, mas não é escorregadia o suficiente para substituir lubrificantes artificiais, explica a professora de obstetrícia e ginecologia clínica Lauren Streicher, também ao site americano. Além de a tentativa ser uma perda de tempo, facilita a transmissão de doenças, assim como sexo oral desprotegido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.