Tamanho do texto

58% das mulheres consultadas para a pesquisa afirmam que fingem orgasmos de vez em quando e, de acordo com os autores do estudo, a prática pode indicar o quão infiel a mulher tem tendência a ser; confira detalhes

O debate sobre fingir orgasmos não é algo novo e os motivos para que eles ocorram são diversos. Um estudo publicado pelo “Archives of Sexual Behaviours” afirma que a simulação de um orgasmo pode vir por altruísmo, como forma de proteger a autoestima do parceiro, e até como uma técnica para fazer com que uma transa ruim termine mais rápido.

Prática de fingir orgasmos, relatada por 58% das mulheres entrevistadas no estudo, tem relação com a infidelidade
Shutterstock
Prática de fingir orgasmos, relatada por 58% das mulheres entrevistadas no estudo, tem relação com a infidelidade

Leia também: Pesquisadores encontram "fórmula" para o orgasmo feminino; confira

Outro dado surpreendente levantado pela pesquisa é que a prática de fingir orgasmos não é tão perceptível assim. 41% dos homens heterossexuais entrevistados afirmam que a parceira sempre chega ao clímax, enquanto a tendência real de isso acontecer, também apontada pelo estudo, é de 33%. 

Faz mal para a relação?

Mas, afinal, a prática pode prejudicar o relacionamento? De acordo com outro levantamento intitulado “Female Orgasm As Evolved Signal” (Orgasmos femininos como sinais de envolvimento, em uma tradução livre para o português), a frequência dos  orgasmos falsos  pode dizer muito mais do que a de orgasmos reais e indica o quão inclinada a mulher está em trair o parceiro.

Leia também: Cinco posições que podem estar sabotando seu orgasmo e como solucionar isso

Para realizar o estudo, pesquisadores recrutaram um grupo de 259 homens e mulheres universitários envolvidos em relacionamento heterossexuais. As mulheres foram questionadas sobre a frequência com a qual fingem prazer no ápice da relação, enquanto homens foram questionados sobre quantas vezes eles acham que isso ocorre. Por fim, todos os participantes tiveram de falar sobre já terem, algum dia, traído um parceiro e sobre a probabilidade de fazerem isso algum dia.

Leia também: Falta de prazer no ápice da relação pode ser anorgasmia; saiba o que é

Apesar de não terem encontrado uma relação entre ter poucos orgasmos e infidelidade, há ligação direta entre a quantidade de orgasmos falsos e a probabilidade da mulher trair. Cruzando os dados (58% das entrevistadas afirmam fingir orgasmos de vez em quando e 46% já quiseram fazer sexo com alguém além do parceiro), os autores afirmam que a frequência com a qual as mulheres fingem orgasmos foi associada tanto à infidelidade feminina quanto à insatisfação masculina com relacionamentos.

Mais da metade das mulheres consultadas pelo estudo afirmam fingir orgasmos de vez em quando. Qual é a sua experiência com o tópico? Compartilhe na enquete abaixo:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.