foco em alimentos saudáveis
shutterstock
foco em alimentos saudáveis







De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o Vitiligo afeta 0,5% da população brasileira (cerca de 1 milhão de pessoas segundo estimativa do IBGE), enquanto a dermatite pode afetar 25% das crianças e até 7% dos adultos. Contudo, o consumo de alimentos antioxidantes pode ajudar no controle dessa e outras doenças de pele.

Conforme explica  a dermatologista Renata Vasconcellos, “os antioxidantes são substâncias que se apresentam como protetores celulares, protegendo o material genético celular da oxidação, ajudando a reduzir os efeitos dos radicais livres”. Os radicais livres seriam “moléculas altamente instáveis que tem a capacidade de interagir com células, com elementos das membranas celulares, das nossas proteínas, gerando um processo de periodização que acelera o processo de envelhecimento pele”, explica a especialista Cinthia Cunha.

Você viu?

Os radicais livres podem ser desenvolvidos por fatores externos, principalmente pela  poluição e a radiação solar, tendo como consequência,o enfraquecimento do sistema imunológico, o envelhecimento, rugas e linhas de expressões. Estas moléculas também podem piorar doenças como vitiligo e dermatite seborreica e psoríase.

Alimentos indicados

De acordo com a dermatologista Cinthia Cunha, a dermatite é um tipo de inflamação na pele. Consumir alimentos antioxidantes com propriedades anti-inflamatórias e seguir uma dieta balanceada para ajudar no controlee. 

“É de fundamental importância a adoção da alimentação balanceada para evitar tais inflamações. O consumo de alimentos ricos em fibras ajuda a alimentar as bactérias da microbiota intestinal, que habitam o nosso intestino, fazendo com que ele funcione de forma regular”.

Como exemplos de alimentos que possuem propriedades anti-inflamatórias, a especialista, bem como o e-commerce de produtos naturais (Ingredientes Online), indica a semente de chia, o azeite de oliva extra-virgem e o chocolate amargo com alta porcentagem de cacau (a partir de 70%).  

Eles também relembram que é importante o consumo de alimentos antioxidantes, tais como o cranberries, o goji berry, a uva passa, a ameixa seca e o açaí, pois eles possuem substâncias que combatem os radicais livres do nosso corpo, prevenindo o envelhecimento precoce.

Segundo o médico Rodolfo Ferrari, “o vitiligo é uma doença não transmissível que se caracteriza pela perda de pigmentação na pele devido à redução das células responsáveis pela produção de melanina”. Apesar de ser uma doença autoimune e sem cura, existem alimentos ricos vitaminas A, C e E ajudam a controlar o problema.

“Elas estão presentes em frutas e legumes como o ovo, fígado, cenoura, manga, mamão, tomate, abóbora, damasco, entre outros. Além deles, agrião, alface e couve devem também ser ingeridos, uma vez que são alimentos ricos em fenilalanina, um importante aminoácido anterior à melanina, responsável por garantir a coloração à epiderme e o estímulo à sua produção”.



Buscando ajuda

Assim como todos os profissionais de saúde sugerem, é muito importante a busca pelo acompanhamento médico e nutricional na elaboração de uma dieta específica para cada especificidade de doenças de pele e organismos. Os dados levantados apontam que para o vitiligo o ideal é o consumo de alimentos ricos em vitamina A, C, E, para as dermatites alimentos anti-inflamatórios.

Mais informações podem ser obtidas na sociedade brasileira de dermatologia: https://www.sbd.org.br/ .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários