A eletroestimulação muscular – também conhecida como EMS – conquista cada vez mais espaço na prática de exercícios e se apresenta como uma boa maneira de "ativar" a capacidade das fibras musculares e, portanto, melhorar a performance nas atividades físicas e até ajudar a perder gordura.

Leia também: Jovem que "odeia academia" consegue emagrecer 38 kg com exercícios no bambolê

eletroestimulação muscular arrow-options
shutterstock
O método de eletroestimulação muscular ajuda a perder gordura, reduzir celulite e ganhar força

O Delas conversou com Gabriel Ganan, educador físico do grupo Action 360, e com o personal trainer das famosas, Marcio Lui, que utiliza a eletroestimulação muscular em seus treinos, e eles explicaram como a técnica funciona e para o que ela é indicada.

O que é eletroestimulação?

eletroestimulação arrow-options
shutterstock
Ganan diz que o método promove "intensa contração dos músculos, ativando quase que 100% das fibras musculares"

De acordo com Ganan, eletroestimulação consiste na aplicação de um impulso elétrico "que pode ser de baixa ou média frequência". Os impulsos, segundo ele, promovem "uma intensa contração dos músculos, ativando quase que 100% das fibras musculares".

Marcio Lui esclarece que o método ajuda a aprimorar os resultados das atividades físicas. "Melhora força, resistência e potência, ativando músculos que não costumam ser ativados com treinamento convencional, sem gerar estresse para as articulações", diz.

Leia também: Projeto verão: personal das famosas dá dicas de ouro para turbinar seu treino

Para que serve?

eletroestimulação arrow-options
shutterstock
A eletroestimulação ajuda a ganhar força, massa magra, perder gordura, reduzir a celulite e a recuperar de lesões

Os profissionais contam que o treino com EMS é recomendado para ganhar força e massa magra, perder gordura , reduzir celulite, aliviar dores nas costas, recuperação pós-gestação e para reabilitação de lesão. Eles dizem ainda que os benefícios são vários, e destacam a economia de tempo como uma das vantagens principais.

"A diferença é o tempo, que é menor que o treinamento sem este método", declara Gabriel Ganan. Além disso, a tecnologia também tem uma ativação de fibras maior que o exercício convencional, e permite treinar o corpo todo ao mesmo tempo.

"Ela funciona com uma contração muscular involuntária, podendo chegar a até 30 vezes mais forte a quebra da fibra muscular e trabalhando até 350 músculos ao mesmo tempo", complementa o educador físico.

Os treinos com eletroestimulação

eletroestimulação Marcio Lui arrow-options
Arquivo pessoal
O método de eletroestimulação da Miha Brasil é o que o personal trainer Marcio Lui costuma usar com os alunos

Lui comenta que o treino é como qualquer outro, porém com duração de 20 minutos, que são dedicados, principalmente, a tonificar e enrijecer a musculatura. "Para praticar EMS, é necessário usar uma roupa especial e colocar um colete com eletrodos que, ao serem umidificados com água, permitem a condução da eletricidade", explica.

"Vale lembrar que a intensidade dos estímulos elétricos pode ser regulada cuidadosamente durante a execução dos exercícios, sempre por um profissional qualificado", alerta ele.

EMS e o emagrecimento

eletroestimulação arrow-options
shutterstock
O EMS colabora com a queima de gordura localizada e, dependendo da intensidade, ajuda a acelerar o metabolismo

Além disso, o personal trainer salienta que a tecnologia colabora com a perda de peso. "A eletroestimulação dos músculos acontece através de estímulos elétricos que podem ser leves ou mais intensos, dependendo sempre do objetivo e do nível de treino do aluno", pontua Lui.

"É possível dividir o treino com exercícios funcionais e específicos da eletroestimulação, com foco no treino força ou metabólico para queimar a gordura localizada e atingir as fibras musculares mais profundas. A variável está na frequência dos estímulos elétricos", acrescenta.

Leia também: Dieta mediterrânea emagrece sem muita restrição e libera vinho; veja como adotar

Qualquer pessoa pode fazer?

Eletroestimulação não é indicada para qualquer pessoa. Veja quem não pode fazer arrow-options
shutterstock
Eletroestimulação não é indicado para qualquer pessoa, conforme dizem os profissionais. Veja quem não pode fazer

Entretanto, é importante ressaltar que o treino com EMS , como outras atividades físicas, tem contraindicações. Pessoas com qualquer uma das condições abaixo não podem ser submetidas a essa tecnologia:

  • Doenças cardiorrespiratórias;
  • Marcapasso cardíoaco artificial;
  • Implantes médicos;
  • Gravidez;
  • Epilepsia;
  • Distúrbios circulatórios graves;
  • Hérnia de parede abdominal ou hérnia inguinal;
  • Tuberculose;
  • Doenças tumorais;
  • Arteriosclerose em fase avançada, distúrbios circulatórios arteriais;
  • Doenças neurológicas graves;
  • Diabetes mellitus;
  • Doenças febris, processos bacterianos ou virais agudas;
  • Sangramento, aumento da tendência para hemorragias (hemofilia);
  • Doenças hepáticas e renais;
  • Feridas, inflamações, queimaduras, irritações ou eczemas na área do eletrodo.

Cuidados com a eletroestimulação muscular

Eletroestimulação arrow-options
shutterstock
É importante ter alguns cuidados ao investir na eletroestimulação, como tomar bastante água e evitar bebidas alcóolicas

Lui e Ganan destacam alguns cuidados para ter antes e depois de praticar atividade com eletroestimulação muscular . "Beber bastante água antes, durante e após o treino. Um dia antes e no mesmo dia não deve ingerir, de forma alguma, bebidas alcoólicas e, caso se sentir mal, deve avisar o profissional", afirma Gabriel Ganan.

Além disso, a pessoa não pode realizar nenhuma outra atividade de força – com EMS ou não – no período de 24 a 48 horas após o treino para dar o "devido descanso" aos músculos.

    Veja Também

      Mostrar mais