Tamanho do texto

Isabella Venditti chegou a pesar 29 kg e se escondia da família e dos amigos para não ter que fazer as refeições, mas ela superou isso e conta como

Uma estudante de enfermagem decidiu revelar o impacto emocional e físico que teve ao batalhar por 10 anos contra uma grave anorexia. A australiana Isabella Venditti, de 19 anos, lembra que os primeiros pensamentos distorcidos em relação ao  corpo e a aparência surgiram com apenas nove anos. “É inquietante saber que fui consumida por essa doença mental com tão pouca idade”, diz a jovem que com 12 anos chegou a pesar 29 kg.

Isabella Venditti sofreu muito com a anorexia e, em processo de recuperação, ela quer divulgar sua história para ajudar
Reprodução/Instagram
Isabella Venditti sofreu muito com a anorexia e, em processo de recuperação, ela quer divulgar sua história para ajudar


Segundo informações do portal britânico “Daily Mail”, o diagnóstico da anorexia veio justamente aos 12 anos, quando Isabella precisou ser hospitalizada e passou meses em tratamento. Quando ela tinha 17 anos, foi informada de que tinha a saúde de uma pessoa de 90 anos, o corpo de uma criança de 10 anos e seu baixo peso era algo extremamente perigoso.

Nessa época, a australiana ainda não tinha entrado nesse universo das redes sociais, mas lembra de passar dias e noites folheando revistas e navegando em blogs admirados com o quão "simétricas" e "perfeitas" muitas garotas eram.

O diagnóstico da anorexia demorou

Isabella desenvolveu a anorexia muito nova, mas só foi diagnostica alguns anos depois em estado crítico
Reprodução/Facebook
Isabella desenvolveu a anorexia muito nova, mas só foi diagnostica alguns anos depois em estado crítico


Apesar de todos os sinais de um distúrbio alimentar estarem visíveis desde os nove anos, muitas pessoas achavam que ela só queria emagrecer pelo fato de que “a maioria das meninas admira o que veem na mídia”. Infelizmente, a estudante precisou chegar a uma situação extrema para ter seu distúrbio notado. “À medida que envelhecia, os pensamentos e dietas da moda ainda me rondavam, mesmo depois de várias sessões de terapia”, lembra.

Ela passou a ter medo da comida, tanto que entrava em pânico e tinha crises de ansiedade só de pensar que uma das refeições se aproximada. Isabella conta, por exemplo, que evitava sair do quarto para não ter que se juntar a família ou aos amigos em um jantar, por exemplo.

“Eu me pesava constantemente e estabelecia metas para a quantidade de quilos que eu gostaria de perder a cada semana, fora isso, fazia exercícios físicos depois de qualquer refeição que eu considerasse exagerada”, diz a australiana.

A parte mais difícil para ela ao longo desses anos foi se tornar refém da  contagem de calorias e também fazia um uso abusivo de laxantes. Ela ficou tão neurótica com a questão das calorias que até a pasta de dente ela olhava para ver se tinha e se corria o risco de “engordar” ao escovar os dentes.

“Agora, olhando para trás, posso ver o quão mentalmente doente eu estava, embora na época eu achasse que era um comportamento completamente racional e afastaria qualquer um que me dissesse o contrário”, garante a jovem.

Quanto ao abuso dos laxantes, a crença é que esse medicamento ajuda na perda de peso, mas isso é definitivamente um mito, pois no momento em que eles fazem efeito, a maioria dos alimentos já foram absorvidos pelo corpo. “Eu tenho a capacidade de entender isso agora, mas na época eu estava convencida de que esse comportamento viciante e prejudicial era eficaz.”

Medo da comida e insatisfação com o corpo

Devido a anorexia, Isabella emagrecia constantemente, mas nunca se sentia satisfeita com o corpo
Reprodução/Instagram
Devido a anorexia, Isabella emagrecia constantemente, mas nunca se sentia satisfeita com o corpo


A relação que a jovem tinha com a comida e seu corpo era horrível e ela diz que por anos perdeu muitas oportunidades, pois sua mente estava sendo consumida pelos pensamentos do que ela estava colocando em seu corpo. Isabella nunca se contentou com sua aparência, mesmo perdendo peso constantemente. Durante anos, ela foi infeliz e mesmo assim não conseguia deixar a anorexia para trás.

Por conta disso, ela havia se convencido de que era assim que sua vida seria para sempre. “Eu estava consumida pelo medo de ganhar peso, frequentemente me pesando e medindo minha cintura e coxas, eram verificações frequentes em frente ao espelho para analisar meu corpo . Minha autoestima dependia da minha aparência física e isso afetou meu bem estar mental e emocional”, diz a jovem.

Consequências da anorexia

No Instagram, tudo pode parecer perfeito, mas a realidade é que a australiana sofreu com a anorexia
Reprodução/Instagram
No Instagram, tudo pode parecer perfeito, mas a realidade é que a australiana sofreu com a anorexia


Isabella se sentiu muito sozinha gastando todo esse tempo e esforço para alcançar um “ padrão de beleza ” que imaginava ser o ideal, achando que o segredo da felicidade era ter um corpo magro. O irônico é que, na realidade, quanto mais peso ela perdia, mais infeliz ela se tornava. Era uma batalha constante e um ciclo que ela sentia como impossível de se libertar.

A anorexia fez a australiana se afastar da família e da sua vida social, pois a maioria das ocasiões sociais tinha comida. A estudante acabou tendo que largar seu emprego de meio período como garçonete porque seu corpo estava muito fraca para se mexer. “No geral, eu perdi uma boa parte de eventos emocionantes na minha vida, tudo por ser consumida por vozes malignas na minha cabeça.”

Depois de muito esforço, a jovem começou a lutar por sua recuperação e o processo foi difícil. “Eu ainda estou aprendendo e crescendo a cada dia, no entanto, definitivamente percorri um longo caminho”, explica.

Uma nova chance

Percebendo que a anorexia não traria o corpo
Reprodução/Instagram
Percebendo que a anorexia não traria o corpo "ideal" e nem a felicidade que ela tanto sonhada, a jovem mudou


Com o tempo, ela foi aprendendo a se ver de outra forma e a entender que o que a define é a empatia, a bondade e outras qualidades que possui. A terapia e a hospitalização realmente fizeram parte desse processo, mesmo ela relutando no começo. “A recuperação ainda é nova e delicada para mim, enquanto me apego ao medo de voltar aos meus velhos hábitos a qualquer momento", relata.

No entanto, ela tem lutado para não ter recaídas e decidiu expor o que passou com a anorexia para alertar outras pessoas e mostrar para quem está na mesma situação que é possível sair dessa situação causada muitas vezes pela pressão estética. “Minha família, namorado e amigos têm sido um sistema de apoio tão grande e eu serei eternamente grata a eles”, diz a australiana que atualmente é vegana e garante que não é mais rigorosa consigo mesma.

“Eu aprendi a amar o corpo que tenho, é claro que tenho inseguranças. Eu sou humana. Só espero que os jovens que estão na mesma situação tenham percebido que estão fazendo mais mal do que bem ao corpo deles”, diz Isabella sobre a anorexia . “Por mais extravagante que isso possa soar, acredite que você é linda e que pode se recuperar se colocar isso na sua mente”, finaliza.

    Leia tudo sobre: dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas