Tamanho do texto

Vídeos de coreógrafos estão fazendo sucesso na web e podem ser uma saída para quem quer emagrecer sem gastar dinheiro; confira as dicas para praticar

As academias estão investindo cada vez mais em aulas de dança. A procura, segundo o educador físico Rayph Baroni, cresceu desde que as coreografias de músicas recém-lançadas começaram a bombar na internet. O lado bom é que a prática, vista por muitos como opção de lazer, ajuda no emagrecimento e definição corporal. Além disso, nada impede que pessoas que não têm tempo ou dinheiro para investir em uma academia comecem a dançar em casa.

Leia também: Treinar dá mais fome? Treino curto funciona? Confira mitos e verdades

Dançar em casa é uma forma de os mais tímidos largarem o sedentarismo e perderem peso fazendo algo divertido
shutterstock
Dançar em casa é uma forma de os mais tímidos largarem o sedentarismo e perderem peso fazendo algo divertido


“É uma iniciativa muito positiva porque é um jeito de largar o sedentarismo fazendo algo prazeroso. Muita gente acaba engordando e acha que não tem mais jeito, mas a atividade física sempre pode ajudar”, afirma o profissional. Para ele, a dança é recomendada para pessoas de todas as idades e quem já começou a dançar em casa deve continuar.

“Eu escolhi trabalhar com isso para trazer alegria para as pessoas, ajudar com a autoestima e a parte motora, tirar os alunos da zona de conforto realmente. A dança promove estímulos diferentes e dá resultado”, explica. Quem pensa em dar uns passinhos em casa, no entanto, precisa de disciplina. Deixar para dançar apenas nas festinhas ou nos dias de folga pode não surtir efeito, caso o objetivo seja emagrecer em pouco tempo.

Como qualquer outra atividade física, a dança exige rotina e comprometimento. Adaptar os horários e separar ao menos dois dias na semana para a prática é essencial. Outra dica importante é escolher vídeos de profissionais sérios e reconhecidos para acompanhar na internet. Infelizmente, existem pessoas que não são capacitadas ensinando passos arriscados, principalmente para quem ainda se encontra no sedentarismo e só quer dançar em casa.

Dançar em casa requer cuidados para evitar lesões

Educadores acham bom dançar em casa, mas recomendam consultas médicas e conversas com professores antes disso
shutterstock
Educadores acham bom dançar em casa, mas recomendam consultas médicas e conversas com professores antes disso


Embora incentive quem não tem condição de fazer aulas presenciais de dança a seguir coreografias disponíveis na web, Rayph Baroni chama a atenção para a realização de exames e consultas com cardiologistas e ortopedistas antes de iniciar a prática a fim de evitar lesões.

“O primeiro passo é fazer os exames para ver se está tudo bem na parte cardíaca, se a pessoa não tem nenhum problema no joelho ou qualquer outra parte do corpo. Conversar com profissionais da área da educação física e instrutores formados também é interessante antes de começar a dançar em casa com um objetivo específico”, aconselha ele.

Leia também: Fazer musculação ajuda a aliviar sintomas da depressão, diz estudo

Aos que focam na perda de peso, o contato com um nutricionista é imprescindível, pois a dieta balanceada, somada à prática de exercícios físicos, acelera o processo de emagrecimento. “Não adianta depositar tudo só no fato de dançar em casa. Uma alimentação melhor e mais saudável é o que vai contribuir para a saúde e o emagrecimento”, defende Baroni.

A privacidade de dançar em casa é o que atrai algumas pessoas

Um dos benefícios de dançar em casa é que ninguém vai ver se você está acertando ou errando os passos da coreografia
shutterstock
Um dos benefícios de dançar em casa é que ninguém vai ver se você está acertando ou errando os passos da coreografia


Aquele ambiente de mulheres e homens musculosos, com roupas de academia, não agrada todo mundo. A paulistana Sabrina Felisberto, de 20 anos, conta que tem preguiça de sair de casa para treinar e frequentar esse tipo de lugar, mas como sempre gostou de dança, teve a ideia de seguir as coreografias disponíveis na web e sua vida mudou consideravelmente.

“Para dançar eu tenho disposição e me sinto muito melhor fazendo isso em casa, no meu quarto, na hora que eu quiser, com a música que eu escolher, no meu ritmo e tudo mais”, afirma. A jovem diz, ainda, que ficou realizada ao encontrar vídeos de professores que ensinam passos fáceis, que deixam o corpo todo em movimento seguindo músicas.

“Se eu pudesse, passaria a tarde inteira na frente do computador copiando as coreografias”, diz ela, aos risos. Desde criança, Sabrina nutre um amor pela dança. Ela se lembra de imitar, quando era mais nova, as coreografias de filmes adolescentes, clipes e até shows da banda “RBD”. “No colégio que estudei, a turma do terceiro ano do ensino médio precisava montar a coreografia para a festa junina da escola. Quando chegou a vez da minha sala, eu e minhas amigas escolhemos pelo menos quatro músicas que já tinham coreografias na internet”, conta.

Na época, Sabrina fez um remix com funk, sertanejo, country, pop, samba e axé, assistindo aos vídeos do coreógrafo Daniel Saboya, e diz que os colegas pegaram os passos rapidinho, sem nenhuma dificuldade. “Depois disso, muitas meninas do colégio começaram a acompanhar os vídeos de dança e passaram a treinar tanto na escola quanto fora”, celebra.

Sabrina Felisberto, 20, começou a dançar em casa para perder peso há pouco tempo, mas já sentiu melhorias no corpo
Arquivo pessoal
Sabrina Felisberto, 20, começou a dançar em casa para perder peso há pouco tempo, mas já sentiu melhorias no corpo


Por um período, a moça conta que ficou sem dançar ou praticar qualquer outra atividade física e ganhou alguns quilinhos. Recentemente, porém, sentiu que era hora de voltar a fazer as coreografias em casa para unir o útil ao agradável: emagrecer e se divertir. "Já sinto uma boa diferença no meu corpo, disposição, autoestima e tudo mais. Acho que pode até demorar um pouco para ter resultado na balança, mas a prática ajuda de qualquer forma", avalia.

Leia também: Este treino é tudo o que você precisa para entrar em forma, diz ciência

Para quem, assim como Sabrina, pretende dançar em casa para deixar o sedentarismo de lado, a partir de agora é só arrastar os móveis e curtir o som. No YouTube, muitos educadores físicos ensinam coreografias com estilos de músicas variados e ainda falam sobre a importância de cada passo para o corpo. Defina o seu objetivo, consulte um médico, invista em uma alimentação mais saudável e note a diferença em alguns meses.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.