Tamanho do texto

Método atua no hipotálamo e processo dura cerca de 90 dias. Ao Delas, Sonia e Eni, ambas de 58 anos, contam como emagreceram mais de 20 kg

Cabeça de quem está gordinho pensa diferente dos magros. Eles não podem ver um docinho ou guloseima que não conseguem dizer não para a "tentação". Essas afirmações não são apenas crenças populares. E é para pensando em acabar com isso que foi criado o método 5S, um processo de emagrecimento que tem feito sucesso. 

Leia também: 12 alimentos que ajudam a perder peso e 5 exercícios para entrar em forma

Método 5S ajuda a emagrecer regularizando a atividade do hipotálamo
shutterstock
Método 5S ajuda a emagrecer regularizando a atividade do hipotálamo


O método 5S  atua como se "reprogramasse" no cérebro. Quem dá os detalhes é a fisioterapeuta dermato-funcional Edivana Poltronieri, criadora do método. Ela já sofreu de obesidade e para lidar com a doença foi pesquisar mais sobre o tema. Foi então que entendeu como o hipotálamo atua nas questões de peso e saciedade e como a "reprogramação" desse órgão do sistema nervoso é fundamental no processo de emagrecimento. 

O hipotálamo é responsável pelo controle da fome e fica inflamado em casos de excesso de peso ou obesidade, devido ao consumo exagerado de gordura saturada. Por isso estudos como um feito em 2009 pela Unicamp e outros de 2012, de fontes dos Estados Unidos, e citados pela fisioterapeuta afirmam que o cérebro de pessoas obesas funciona de forma diferente se comparado ao de pessoas magras. "Os resultados [desses estudos] abriram novas perspectivas terapêuticas e permitiram o desenvolvimento de tratamentos mais eficazes contra a obesidade, como o 5S", comenta Edivana.

Ela explica, afirmando que tais estudos indiacam que o excesso na ingestão de alimentos ricos em gordura saturada provoca essa inflamação do hipotálamo, que passa a não conseguir fazer a leitura correta da leptina, hormônio produzido pelas células gordurosas e responsável por emitir a sensação de saciedade. "Com o sistema neural descontrolado e sem sinais de saciedade, as pessoas passam a comer compulsivamente e, com o tempo, tornam-se obesas", comenta Edivana. Além da inflamação, os estudos revelaram a morte de neurônios.

Com base nisso, ela desenvolveu o método que atuaria de forma a regulazirar as funções deste órgão através de cinco etapas, por isso o nome 5S. 

Etapas do método

"Os cinco pilares do método são: reeducação alimentar, suplementação de vitaminas e minerais com uso de nutracêuticos, tratamento estético desintoxicante, reprogramação do hipotálamo por meio da ação anti-inflamatoria dos ômegas 3 e 9 e terapia em grupo com acompanhamento multidisciplinar de profissionais de nutrição e psicologia", enumera Edivana. 

Método inclui uma reeducação alimentar, e criadora defende que é preciso seguir uma alimentação saudável e equilibrada, mas que não há um cardápio padrão ou limite de calorias
shutterstock
Método inclui uma reeducação alimentar, e criadora defende que é preciso seguir uma alimentação saudável e equilibrada, mas que não há um cardápio padrão ou limite de calorias


Antes de começar o processo, a pessoa passa por uma avaliação corporal, na qual é determinada quantidade de peso a ser eliminada. Aí começa o método, que é divido em três momentos: 

Redução de peso – nessa etapa o objetivo é normalizar as taxas de insulina, diminuir a massa gorda e preservar a massa magra do paciente; 

Manutenção – agora é o momento de conseguir se manter no novo peso depois do emagrecimento. Também é feito o acompanhamento da fase intermediária da reprogramação hipotalâmica;

Reeducação alimentar – a última fase se baseia na reintegração do paciente à rotina, com acompanhamento e reforço dos novos hábitos adquiridos durante o processo. 

Resultados

Segundo Edivana, o método leva 90 dias. "Esse é o período mínimo necessário, segundo a literatura científica, para que ocorra a reprogramação da memória celular e consequente mudança nos hábitos de vida", afirma a fisioterapeuta. Ainda de acordo com a criadora, é possível emagrecer de 10 a 15 quilos em apenas um mês. 

Ela defende ainda que os resultados são duradouros, já que a pessoa passou por todo um processo de aprendizado e conscientização sobre alimentação saudável e equilibrada. Além disso, vale procurar uma atividade física que dê prazer e inclui-la na rotina. 

Quem pode seguir do método

Edivana diz que o método 5S é indicado para homens e mulheres que estejam acima do IMC (Índice de Massa Corporal) e que não apresente as contra indicações como: gestantes, pessoas com insuficiência renal, distúrbios degenerativos anemias, dentre outros. 

Para quem exagerou em feriado ou nas férias e quer perder pouco peso, também pode seguir o método, que é adaptado para cada paciente. 

Histórias de quem já emagreceu

Eni passou da casa dos 90 kg para os 70 kg com o método 5S
Divulgação
Eni passou da casa dos 90 kg para os 70 kg com o método 5S

Sonia Maria Vieira de Souza e Eni Aparecida Sivera Bertolini são adeptas do método 5S. Ambas ultrapassaram a casa dos 90 kg, apresentaram problemas de saúde e precisaram emagrecer. Elas ainda tinham o agravante da idade: ambas já tinham passado dos 50 anos e sabemos que o metabolismo fica mais lento com o avançar da idade, o que torna ainda mais complicada a tarefa de perder peso de forma saudável. 

Aos 57 anos, Eni descobriu, depois de uma ultrassonografia, que estava com gordura no fígado. Ela também sofria de hipertensão e diabetes e a indicação do médico era para uma cirurgia bariátrica. 

Sonia também descobriu problemas com gordura corporal e nas células em uma situação ainda mais delicada. Ela enfrentava problemas com o peso desde a gravidez e, em 2015, teve um câncer maligno na mama. Na biópsia foi detectado o problema com a gordura, que poderia fazer com que ela tivesse uma metástase no futuro. Também era preciso emagrecer, e logo. 

Para cada uma, começar o método e passar pela reeducação alimentar teve diferentes impactos. "Os primeiros dias foram um pouco difíceis, achei que estava sentido fome, mas conforme foi passando o tempo aprendi que não era fome e, sim, vontade", comenta Sonia. Já Eni se surpreendeu com os primeiros dias. "Por incrível que pareça, comia muito mais do que estava acostumada a comer e passei a comer regularmente de 3 em 3 horas. Em poucos dias me adaptei", conta.

Para cada paciente há um cardápio e uma dieta espefícia, de acordo com as necessidades de cada um. Com isso, ao passar a se alimentar de forma mais saudável, é possível até passar a comer mais. Entretanto, para equilibrar o cardápio é preciso cortar alguns excessos e fazer adapatações. "Ficar sem comer pão e sem tomar leite foi o desafio, porque adoro. Também ter que fazer as comidas foi complicado, porque estava acostumada a comer fora todos os dias", revela Eni. Sonia teve de aprender a ficar sem doces, mas descobriu uma saída saudável nas fruats. Ela diz ainda que precisou segurar nos carboidratos, mas que não sofreu com isso. 

Sonia comemora ter de novo o peso que exibia há 30 anos
Divulgação
Sonia comemora ter de novo o peso que exibia há 30 anos

Para motivar a seguir a dieta e o novo cardápio, Sonia ainda contou com uma ajuda virtual. "Era fácil comer frutas e legumes e postar sobre isso no grupo de WhatsApp. Era a motivação que eu precisava". 

No processo de emagrecimento, Sonia passou dos 92 kg para os 69 kg. Já Eni pesava 98,8 kg e tinha uma meta de chegar aos 78 kg. "Até depois do método continuei a emagrecer e cheguei a 72,9 Kg. Hoje peso e me mantenho nos 74,5 Kg".

E depois, como manter o peso?

Eni, por exemplo, engordou um pouquinho depois de seguir o metódo 5S, mas comemora estar muito longe dos quase 100 kg de antes da dieta. Para ela, ter feito uma reedução alimentar e conhecer os alimentos ajudou a manter o peso. Sonia também concorda que o aprendizado da dieta faz com que ela tenha hoje o mesmo peso que tinha há 30 anos, antes da primeira gravidez. 

Mas alguns truques também são bem-vindos. "Criei o habito de me pesar diariamente, o que faz com que eu controle o meu peso", conta Eni.

E é preciso cuidado para evitar problemas no futuro e até uma nova inflamação no hipotálamo e toda a desregulação no orgão, reativando os problemas de controle de fome e vontade de comer e alerta de saciedade. Com isso, os riscos de exagerar e engordar ainda mais voltam com força total. "O Método 5S não é a cura da obesidade, e processos inflamatórios podem ser gerados diariamente se os hábitos alimentares se tornarem inadequados novamente", alerta Edivana. Por isso, a dica é fazer da alimentação saudável uma rotina e seguir os exemplos de Eni e Sonia. A saúde das duas também está em dia. Eni não precisou fazer a cirurgia bariátrica e hoje tem diabetes e a pressão controlada. Já Sonia, que chegou a ter esteatose hepática severa, não sofre mais com o problema. 

    Leia tudo sobre: dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.