Imagem ilustrativa
Reprodução/Ciné Tamaris
Imagem ilustrativa

O recente caso envolvendo a esposa do Will Smith, Jada Pinkett Smith , trouxe à tona novamente o debate sobre como mulheres negras são constantemente alvo de chacotas e violência verbal. De acordo com a pesquisa publicada por Luiz Valério Trindade, pesquisador brasileiro e PhD em Sociologia, cerca de 81% dos comentários depreciativos feitos na Internet no Brasil, têm como alvo mulheres negras de 20 a 35 anos.

O estudo levantou 109 páginas do Facebook e 16 mil perfis, analisando também 224 artigos jornalísticos que tinham como temática casos de racismo nas redes sociais, entre os anos de 2012 e 2016. Concluindo que 65% dos comentários racistas vinham de homens entre 20 á 25 anos, enquanto as suas vítimas eram majoritariamente mulheres, cerca de 81%, com idades entre 20 a 35 anos. 

Segundo Luiz Trindade, o motivo para que as mulheres negras sejam os maiores alvos para esse tipo de violência, é devido a uma mistura de machismo e racismo em nossa sociedade. As principais vítimas desses ataques são as mulheres em posições de “poder” como médicas, jornalistas, advogadas e engenheiras, admitir que uma mulher e ainda negra possa estar de alguma forma em uma posição de "superioridade" é inadmissível para esses homens. 

“A partir do momento em que essas mulheres negras ascendem socialmente, adquirem maior escolaridade, elas se engajam em profissões de maior visibilidade e maior qualificação. Isso entra em choque com aquele modelo que diz que a mulher negra tem que estar associada ou engajada em atividades subservientes e de baixa qualificação”, explica o pesquisador, de acordo com a reportagem da Agência Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários