A modelo relata sua carreira como modelo no livro
Vanity Fair
A modelo relata sua carreira como modelo no livro "My Body"

Após divulgar o caso de assédio sexual que sofreu por Robin Thicke nos bastidores do clipe “Blurred Lines” , a modelo Emily Ratajkowski fala sobre o novo livro e o episódio em entrevista ao The New York Times Magazine. A modelo ficou internacionalmente conhecida após participar do clipe com Thicke. 

Na entrevista com a jornalista Andrea Long Chu, Ratajkowski afirmou que sempre tinha de encarar comentários sobre como ela era o corpo nu atrás de um homem. Ela também recebeu perguntas sobre quem era seu "escritor fantasma", pois as pessoas não acreditavam que ela podia escrever um livro.


Durante seus trabalhos, a modelo revelou que ser "elogiada" com cunho sexual não era algo incomum. Na entrevista, o foco principal foi mostrar em como trabalhar na área de modelo faz com que as pessoas que estão na profissão sejam vistas como apenas um produto. 

Ratajkowski disse que, em certo momento, já não sabia mais como era e que não conseguia diferenciar o que era uma fotografia boa ou ruim, para ela era apenas mais uma foto. Após 17 anos atuando como modelo, ela pode se conhecer melhor ao escrever "My Body". A modelo, que é mãe de um menino de 8 meses, conta que ao dar à luz, pediu um espelho para que pudesse ver seu corpo, tanto comentado durante todos os anos na indústria da moda. “Não há imagens que sejam só para mim”, disse. 

Leia Também

Em 2012, Ratajkwoski posou nua para a revista estadunidense Treats e disse: "Eu sou uma 'manequim' para viver". Foi quando a modelo conheceu Robin Thicke. A revista recomendou a modelo para o vídeo de "Blurred Lines". No vídeoclipe, ela e mais duas modelos andam pelo set apenas de calcinha, com os seios expostos. Na época, grupos feministas acusaram o artista de estar reforçando a cultura do estupro, tanto pelo clipe, quanto pela letra. 

Leia Também

Leia Também


"Eu e, mais especificamente, a política do meu corpo, de repente começamos a ser discutidos em todo o mundo por feministas e também adolescentes", disse. Na entrevista, a jornalista afirma que a objetificação da modelo a acompanhou por toda sua carreira, e por isso — mesmo que não seja nenhum motivo ou desculpa — tenha a tornado descreditada quando denunciou o assédio sexual. 

Ela relembra que no set, Thicke e outros homens estiveram ausentes por muitas horas, deixando um ambiente confortável e apenas com mulheres. "Eu me senti nua pela primeira vez naquele dia", relembrou ela contando de quando o artista agarrou seus seios sem permissão. 

Essa não foi a primeira vez em que a modelo foi vítima de assédio. Ela também relata que foi vítima de um estupro quando tinha apenas 14 anos, cometido por seu então namorado. Quanto ao fotógrafo Jonathan Leder, ele disse: "Ela estava nua na revista e pulava nua no clipe de Robin Thicke. Você realmente quer que alguém acredite que ela foi uma vítima?". A modelo está avaliando se vai processar o fotógrafo pelo o que foi dito.

A Editora buzz comprou os direitos e vai publicar no Brasil o livro. Emily Ratajakowski já está se preparando para estar no Brasil durante o lançamento. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários