No projeto da pequena sala de estar realizado pela arquiteta Marina Carvalho, a parede e o rack foram compostos pelo painel ripado.
Evelyn Müller
No projeto da pequena sala de estar realizado pela arquiteta Marina Carvalho, a parede e o rack foram compostos pelo painel ripado.

Para quem busca renovar o visual da casa, investir na iluminação pode ser uma ótima pedida para valorizar os cômodos sem gastar muito . As fitas de LED tem conquistado o décor de interiores, deixando os ambientes ainda mais sofisticados, além de cooperar no reforço da iluminação onde são instaladas.


Em seus projetos, a arquiteta Marina Carvalho é adepta do emprego de fitas de LED para criação de iluminação indireta em diversos cômodos. “Eu aprecio a versatilidade do material para iluminas bancadas. Por isso, sempre estão nas cozinhas, banheiros e áreas de serviço. Elas também são perfeitas para valorizar o mobiliário e destacar os objetos decorativos dispostos”, comenta a profissional.

Nesse contexto, ela ainda ressalta que o LED deve, necessariamente, harmonizar com o estilo, a paleta de cores aplicada e se alinhar com as características gerais da marcenaria. 

Nesta cozinha projetada pelas arquitetas Claudia Yamada e Monike Lafuente, responsáveis pelo Studio Tan-Gram, o LED ilumina as prateleiras e a pia
Evelyn Müller
Nesta cozinha projetada pelas arquitetas Claudia Yamada e Monike Lafuente, responsáveis pelo Studio Tan-Gram, o LED ilumina as prateleiras e a pia

Aplicação do LED na marcenaria

Uma das maiores vantagens desse tipo de iluminação é a facilidade na instalação, pois a grande parte dos modelos de fita de LED possui dupla face, simplificando a fixação em qualquer superfície. Caso a fita não disponha deste recurso, é possível utilizar cola instantânea ou de contato.

O primeiro passo é determinar os locais onde a fita será colocada para uma compra de acordo com a necessidade. É interessante destacar que as fitas costumam apresentar marcas de corte, medida que contribui no ajuste mais assertivo durante o processo. Outro modo de fixação é a possibilidade de parafusar a fita de LED na própria marcenaria – um processo que mitiga o risco de descolamento com o passar do tempo.

Após essas análises, a instalação deve considerar os conectores em uma posição próximo à uma tomada para a ligação. Em vias de regra, normalmente as fitas já são acompanhadas por um plug, mas caso o material comprado não disponha dessas características, pode ser acoplado com facilidade. Para fazer a conexão, basta inserir os fios da fita no conector, encaixar corretamente e prender os parafusos com uma chave de fenda fina. Na sequência, basta juntar o conector com o plug.

A arquiteta Marina Carvalho destaca sua preferência por iluminar as prateleiras na parte inferior ou superior, assim como executado na área social desse apartamento
Evelyn Müller
A arquiteta Marina Carvalho destaca sua preferência por iluminar as prateleiras na parte inferior ou superior, assim como executado na área social desse apartamento

Vantagens do LED nos ambientes

Um dos benefícios do LED na marcenaria é que não há restrições e que a fita pode ser implementada em praticamente todos os cômodos: a premissa é sempre conferir um visual interessante para o projeto. A durabilidade das lâmpadas é outro ponto positivo, pois comparada com os modelos tradicionais, o LED apresenta uma eficiência superior e, pensando no quesito sustentabilidade, gera uma energia limpa, pois não emite poluentes e a ausência de raios ultravioleta oferece mais segurança e conforto.

Segundo a arquiteta Claudia Yamada, a multifuncionalidade do LED é um dos atributos que conquistam não apenas os profissionais da área, como também os moradores. “É incrível o efeito visual que ele produz, enquanto demanda pouquíssimo espaço e ainda demanda baixo consumo de energia”, comenta a profissional.

Leia Também

Ela ainda considera vantajoso o fato de o LED iluminar grandes distâncias, diferentemente dos spots, que oferecem uma iluminação bem pontual. “Com uma única fita conseguimos iluminar uma bancada inteira de forma contínua e sem sombras. Os spots nunca nos permitiram isso”, complementa. 

Leia Também

Neste lavabo as arquitetas do Studio Tan-Gram adotaram o LED, que foi embutido no entorno do espelho, da bancada e do nicho, para propiciar uma atmosfera mais intimista, surpreendente e tranquila
Evelyn Müller
Neste lavabo as arquitetas do Studio Tan-Gram adotaram o LED, que foi embutido no entorno do espelho, da bancada e do nicho, para propiciar uma atmosfera mais intimista, surpreendente e tranquila

Móveis e cômodos onde o LED é mais comum

O LED pode ser utilizado em diversas situações e superfícies, porém em alguns móveis e locais ele é mais recorrente. A sala de estar, ambiente onde os moradores costumam permanecer com considerável frequência, é um dos queridinhos para a sua colocação em racks e painéis de TV, por exemplo. Contudo, há de se avaliar a potência ideal da fita, uma vez que luzes de forte intensidade atrapalham para assistir TV.

A cozinha é outro cômodo onde o uso de LED é contumaz. No cômodo, as fitas são consideradas em bancadas, prateleiras e nichos, tanto com o intuito de agregar funcionalidade para os habitantes da casa, tanto para conceder um toque diferenciado e atual na decoração. Em alguns casos, para dispor mais praticidade e valor à marcenaria, o interior de armários e gavetas também podem receber o LED, sendo ativados apenas quando forem abertos.

Nos dormitórios, o LED vai muito bem na cabeceira de cama, em uma composição de essência ainda mais aconchegante, closets, facilitando a escolha das peças no dia a dia do morador e, nos banheiros, a fita concede refinamento ao espaço. “Não existe limite para a utilização dos LEDs na casa, pois ficam super bem em muitas propostas. Minha recomendação é seguir a parcimônia, pois em excesso a aparência fica estranha. O melhor é sempre optar por inserções pontuais”, orienta Marina Carvalho. 

O cantinho do home office deste apartamento executado por Marina Carvalho ganhou fitas de LED no forro e nas prateleiras para reforçar a iluminação durante as atividades profissionais.
Evelyn Müller
O cantinho do home office deste apartamento executado por Marina Carvalho ganhou fitas de LED no forro e nas prateleiras para reforçar a iluminação durante as atividades profissionais.

Cuidados

Para Marina, o principal cuidado com as fitas de LED está relacionado na escolha do reator, essencial para seu funcionamento. Entretanto, tudo dependerá da metragem da fita ou do comprimento do móvel onde será instalada, haja vista quanto maior a extensão linear, maior o reator. “Quando o ambiente tem forro de gesso, sempre deixo o reator próximo do spot embutido e do móvel. Mas caso eu não tenha esse recurso, sempre busco camuflar em algum cantinho da marcenaria. Esse acesso facilitado é importante para trocas em caso de queima”, recomenda.


Já Monike Lafuente ressalta a importância de se prestar atenção na dissipação de calor que o LED acaba gerando quando a aplicação é efetuada diretamente no móvel. “Muitas vezes fixamos o led em contato com um perfil de alumínio, o que chamamos de calha de led”, finaliza. 

No dormitório produzido pelas profissionais do Studio Tangram, o tijolinho foi iluminado com o LED embutido na cabeceira em marcenaria
Evelyn Müller
No dormitório produzido pelas profissionais do Studio Tangram, o tijolinho foi iluminado com o LED embutido na cabeceira em marcenaria


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários