Cartaz do filme Madres Paralelas de Pedro Almodóvar
Divulgação
Cartaz do filme Madres Paralelas de Pedro Almodóvar

Pedro Almodóvar vence batalha com Instagram após ter o cartaz do seu novo filme, "Madres Paralelas", censurado pela rede social.  A imagem do cartaz é um mamilo lactante e foi retirada de circulação em diversas contas "por violar as regras contra nudez". A assessoria do Facebook - dono do Instagram - que fez o primeiro comunicado sobre a retirada da imagem, volte a se manifestar sobre a reintegração do cartaz às redes e pede desculpas:

“Fazemos, porém, excepções que permitem nudez em algumas circunstâncias, o que abrange claros contextos artísticos. Assim, restaurámos as publicações partilhando o poster do filme de  Almodóvar no Instagram e lamentamos qualquer confusão causada”, disse a empresa num comunicado. O autor do cartaz, Javier Jaén, acusa a rede social de censura.

O caso é somado ao debate do movimento "Free the niple" (iiberem o mamilo), que fala especialmente sobre as redes sociais permitirem mamilos de homens em postagens do feed ou stories, mas não os de mulheres.

Pedro Almodóvar aproveita agradecer a todos que postaram uma ou mais vezes, compartilharam e levantaram o debate sobre o que é obsceno e ofensivo, fazendo com que as mentes por trás do algoritmo dêem um passo para trás. Ele fala que é uma vitória de todos que se empenharam em fazer o cartaz circular livremente. Almodóvar fala que é preciso estar atento sobre as decisões que as máquinas tomam entre o que pode ou não ser feito, e que ele sempre confia na bondade de desconhecidos quando são humanos e que um algoritmo não é humano. Ele conclui falando que por mais informação que um algoritmo tenha informações, nunca terá coração ou sentido algum. Veja o agradecimento na íntegra:



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários