Raven Saunders protagoniza a primeira manifestação dos Jogos Olímpicos de Tóquio
Reprodução/CNN Brasil
Raven Saunders protagoniza a primeira manifestação dos Jogos Olímpicos de Tóquio


Após ganhar a medalha de prata no arremesso de peso feminino, a americana Raven Saunders protagonizou a primeira manifestação no pódio das Olimpíadas de Tóquio. Enquanto os medalhistas posavam para as fotos, ela ergueu os braços e cruzou em forma de X. A atleta disse que o ato representava “o cruzamento em que todas as pessoas oprimidas se encontram”.

A jovem de 25 anos, preta e lésbica, tem falado abertamente sobre a sua luta contra a depressão, e disse que queria ser ela mesma, sem se desculpar. O Comitê Olímpico Internacional (COI) relaxou a proibição de protestos durante os jogos, permitindo que os atletas expressem as suas opiniões durante as coletivas de imprensa, mas as manifestações públicas ainda estão proibidas durante as premiações. 


De acordo com o porta-voz, as entidade está “avaliando” o gesto e não está claro qual tipo de represália Saunders pode sofrer, já que o COI não informou possíveis penalidades. A saúde mental dos atletas tem sido motivo de preocupação nos jogos deste ano, principalmente depois que a estrela da ginástica, Simone Biles, desistiu de várias competições para priorizar o seu bem-estar emocional. 

Saunders, que estreou nas Olimpíadas em 2016, no Rio, descreveu como considerou tirar a própria vida em 2018 enquanto enfrentava problemas relacionados à saúde mental. De acordo com ela, sua identidade foi consumida pelo arremesso de peso, e ela se sentiu incapaz de escapar das pressões vinculadas ao esportes. 

A atleta buscou ajuda de um ex-terapeuta e afirmou que foi capaz de criar uma relação mais equilibrada com o sucesso. “É normal ser forte”, disse ela. “E não há problema em não ser forte 100% do tempo. Não há problema em precisar das pessoas”, declarou à BBC.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários