Tamanho do texto

Ação pela saúde de crianças e das mães foi promovida pelo programa de promoção do aleitamento materno “Iniciativa Hospitais Amigos dos Bebês”

A OMS (Organização Mundial da Saúde) e a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) lançaram nesta quarta-feira (11) um guia de dez passos para aumentar o apoio à amamentação nos centros médicos. A ação foi promovida pelo programa de promoção do aleitamento materno “Iniciativa Hospitais Amigos dos Bebês”.

Leia também: Aleitamento materno: mães compartilham relatos sobre a amamentação

Amamentação já na primeira hora após o parto, por exemplo, protege os recém-nascidos de sérias infecções
Shutterstock
Amamentação já na primeira hora após o parto, por exemplo, protege os recém-nascidos de sérias infecções

De acordo com a OMS, a amamentação nos primeiros dois anos poderia salvar mais de 820 mil crianças com menos de cinco anos anualmente. O objetivo do guia é encorajar as mães a amamentar os próprios bebês e informar aos profissionais da área de saúde a melhor forma de ajudar estas mulheres.

Leia também: Aluna grávida consegue assistir aulas remotamente graças a robô

Segundo especialistas, o leite materno é importante para reduzir os gastos das unidades de saúde, das famílias e até mesmo do governo. Mas os benefícios principais estão relacionados à saúde do bebê e da mãe: amamentar já na primeira hora após o parto, por exemplo, protege os recém-nascidos de infecções, e o ato ao longo da vida do bebê reduz o risco de câncer de mama na mulher.

10 passos para o sucesso na amamentação

O guia foi dividido em dois pontos: os procedimentos de gestão, que são mais voltados às unidades de saúde, e as práticas clínicas chave, que também podem ser aproveitadas pelas mães. Confira os dez passos:

Procedimentos críticos de gestão

  1. Cumprir plenamente o Código Internacional de Comercialização de Substitutos do Leite Materno e as resoluções relevantes da Assembléia Mundial da Saúde. Ter uma política de alimentação infantil por escrito que seja rotineiramente comunicada à equipe e aos pais. Estabelecer sistemas contínuos de monitoramento e gerenciamento de dados.
  2. Garantir que a equipe tenha conhecimento, competência e habilidades suficientes para apoiar a amamentação.

Práticas Clínicas Chave

  1. Discuta a importância e o controle da amamentação com mulheres grávidas e suas famílias;
  2. Facilitar o contato pele a pele imediato e ininterrupto e apoiar as mães a iniciar a amamentação o mais rápido possível após o nascimento;
  3. Apoiar as mães para iniciar e manter a amamentação e superar dificuldades comuns;
  4. Não forneça a recém-nascidos alimentos ou líquidos que não sejam o leite materno, a menos que indicado clinicamente;
  5. Permita que as mães e seus filhos permaneçam juntos e pratiquem o alojamento conjunto 24 horas por dia;
  6. Apoiar as mães a reconhecer e responder às indicações de fome dos seus filhos;
  7. Aconselhe as mães sobre o uso e os riscos de mamadeiras, bicos e chupetas;
  8. Coordenar a alta para que os pais e seus filhos tenham acesso oportuno a apoio e cuidados contínuos.

Leia também: Como conseguir um quarto montessoriano como o da filha de Débora Nascimento

O guia de amamentação também pode ser usado pelos pais na hora de considerar o hospital no qual o filho vai nascer. Confira tudo o que a OMS e a Unifec estabelecem antes de ir ao centro médico e, no local, saiba se eles seguem estas normas.

    Leia tudo sobre: Gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.