Pele e cabelo ressecados e aumento de peso estão entre as mudanças que podem acontecer na fase do climatério. Mas é possível combatê-las; descubra como

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237491697055&_c_=MiGComponente_C

Por mais que a gente evite pensar na menopausa (porque está longe ou quer evitar o assunto delicado), um dia ela chega. Faz parte do ciclo da vida. É um termo derivado do grego men, que significa mês, e pausis, de cessação, e significa última menstruação. Ocorre na época do climatério, transição do período fértil para o não reprodutivo, quando cessa a produção dos hormônios estrógeno e progesterona pelos ovários, define a ginecologista e mastologista Elisabete Dobao, diretora da clínica Curarte, do Rio de Janeiro. Para a maioria das mulheres, ela chega por volta dos 50 anos, mas pode variar desde 40 até 59. Antes dessa idade é considerada precoce; após os 52, tardia.

Mudanças no corpo e na mente
Seus sinais clássicos são bem conhecidos. Normalmente inicia-se com ciclos menstruais irregulares e juntamente, ou logo a seguir, ondas de calor, aumento da sudorese e insônia, explica a médica. Mas há outros sintomas, como mudança dos índices de colesterol, dores articulares, osteoporose, irritabilidade, perda da memória, ansiedade e diminuição da lubrificação vaginal e do desejo sexual. Todos esses sintomas são causados pela falta dos hormônios que afeta o funcionamento do organismo.

O estrogênio, para se ter ideia, atua no hipotálamo que, entre outras funções, regula a temperatura e o nível de água no corpo e age nas células da epiderme. Por isso mesmo ocorrem alterações na pele, como o ressecamento excessivo. A planta dos pés engrossa e o calcanhar até chega a rachar. E há perda das fibras de colágeno, o que provoca flacidez e formação de rugas, completa a dermatologista Mônica Aribi Fiszbaum, de São Paulo. São comuns ainda queixas relacionadas ao enfraquecimento das unhas e a propensão ao afinamento e à queda dos cabelos. A baixa hormonal é, novamente, a responsável.

Num primeiro momento da menopausa, como cessam a ovulação e a produção de hormônios, o desejo sexual torna-se instável, a lubrificação diminui, o clitóris fica menos sensível e a freqüência e intensidade dos orgasmos são reduzidos, avisa a ginecologista Elisabete Dobao. Mas a mulher que mantém vivo seu interesse, adaptando-se às mudanças e encarando as situações com bom humor e apoio médico, recupera uma vida sexual satisfatória.  

Terapia de reposição
Apesar de os problemas nessa fase parecerem assustadores, eles podem ser solucionados, tranquilizam os especialistas. Tudo depende da gravidade dos sintomas e de quanto eles atrapalham o dia a dia. Nem todas as mulheres precisam de tratamento específico, afirma Elisabete Dobao. Mas um dos mais indicados é a Terapia de Reposição Hormonal, que exige avaliação e controle médico constante para ser adotada.

Ela pode ser feita com estrogênio e progesterona ou só estrogênio, em forma oral, transdérmica, vaginal ou subcutânea. Na lista de aliados também entram substâncias sintéticas que agem como os hormônios (tibolona e raloxifeno), fitoterápicos (denominados fitormônios, extraídos da soja ou outras plantas e que também imitam sua função), cálcio e bifosfonatos (favorecem o ganho de massa óssea) e antidepressivos.

Dieta, exercícios e hidratação
Além dos medicamentos, existem outras medidas para amenizar os incômodos que surgem com a menopausa. O controle do peso é essencial. E deve ser contínuo, com alimentação equilibrada e exercícios regulares. Se engordou um quilo indesejado, trabalhe para perdê-lo logo, esclarece Mônica Aribi Fiszbaum. É que o metabolismo torna-se mais lento e fica mais difícil reduzir o peso acumulado, sem contar que há substituição progressiva da massa magra (muscular) pela gordura.

Uma hidratação reforçada, à base de ureia, lactato de amônio, semente de uva e macadâmia é mais do que recomendado para reverter o ressecamento, bem como reduzir a temperatura da água do banho e usar sabonetes específicos para peles secas. Injeções com ácido hialurônico também ajudam a preencher as rugas finas, além de hidratar profundamente. A flacidez pode ser combatida com laser (o Titan é um deles), que estimula as fibras de colágeno, preenchendo os vincos. Já a queda de cabelo deve ser pesquisada pelo dermatologista, que poderá prescrever o melhor tratamento, de tônicos tópicos a implante.

Aos primeiros sinais, procure o ginecologista. Ele é a pessoa certa para orientar você nesta nova fase da vida, que pode e deve ser muito bem vivida, e com toda a qualidade.

Alimentos especiais
Segundo a nutricionista Márcia Regina Dal Medico, do Spa Jardim da Serra (SP), a alimentação ajuda bastante a combater os incômodos que chegam com a menopausa. Veja o que consumir no dia-a-dia:

- Vitaminas do complexo B - Atuam na diminuição da ansiedade, da depressão e dos fogachos e ainda fortalecem o sistema nervoso e ósseo, entre outros benefícios:

- B1 - Levedura de cerveja, sementes de girassol, feijão, aveia, fígado, arroz integral e pescados.

- B2- Fígado, brócolis, leite, amêndoas, iogurte, ovos, gérmen de trigo, aves.

- B3 - Peixe (atum), frango, brócolis, sementes de girassol, requeijão.

- B6 - Arroz integral, peixe (atum), frango, fígado, uvas, repolho, gérmen de trigo.

- B12 - Carnes, ovos e laticínios.

- Uva - Poderoso no combate dos radicais livres. Fornece energia, estimula as funções hepáticas, mantém o bom funcionamento do sistema digestivo e auxilia na redução da pressão sanguínea. Tomar 150 ml de suco no almoço e 150 ml no jantar.

- Soja - Além de funções nutricionais básicas, produz efeitos benéficos à saúde. Reduz os riscos de algumas doenças crônicas e degenerativas. É rica em proteínas de boa qualidade, possui ácidos graxos poliinsaturados e compostos fitoquímicos (como isoflavonas) e minerais (como cobre, ferro, fósforo, potássio, magnésio e manganês). Ingestão diária recomendada: 25g de proteína de soja, ou 60 g de grãos.

- Semente de linhaça - Contém proteínas, fibras, ômega 6 e um potente antioxidante e anticancerígeno (lignina). Auxilia na coagulação sangüínea, no metabolismo dos ácidos graxos, ativa o sistema imunológico do organismo e reduz a taxa de mau colesterol do sangue. Fortalece unhas, dentes e ossos e torna a pele mais saudável. Consumir 1 colher de sobremesa. 

- Castanha-do-Pará - Evita arteriosclerose, auxilia na produção de anticorpos e na ação dos esteroides sexuais. Duas ao dia.

Leia mais sobre: menopausa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.