Depilação íntima total (total mesmo!)

As técnicas e os cuidados para remover os pelos da região genital com segurança

Andrea Giusti, iG São Paulo |

Getty Images
Os cuidados com a depilação íntima total
A depilação íntima total, que consiste na remoção de todos os pelos da região da vagina e ânus, é um dos estilos mais pedidos pelas mulheres, segundo afirma Ester Abreu, do Instituto de Depilação Vanessa. A depiladora Silvia da Cunha, do Advanced Center, confirma a tendência. “De cada dez que chegam aqui, sete pedem para depilar tudo”, conta.

Modinha, proximidade do verão ou simplesmente para provocar o parceiro na cama, as justificativas variam. Para Ester, a praticidade também conta: “É uma maneira fácil para não se preocupar com os pelinhos indesejados”.

A pele da região íntima é mais delicada que as demais partes do corpo e, por isso, é preciso ter cuidado. “Os pelos genitais dão uma proteção maior à mulher, mas eles podem ser retirados. Basta lembrar que isso pode provocar algum trauma por conta do contato e atrito direto da pele com a roupa, absorvente e até desodorante íntimo”, explica José Borges, ginecologista do Hospital Nove de Julho.

Lâmina, cera, creme e laser
Para quem utiliza a lâmina, método bastante caseiro, a dica é fazer movimentos lentos e usar um aparelho novo. Contudo, o método não é indicado. “É a maneira mais agressiva de depilação. Há possibilidade de cortar a pele e causar inchaço, entupindo o poro e deixando posteriormente o pelo encravado”, diz o ginecologista.

A cera quente é altamente recomendada e, nesse caso, o cuidado maior fica por conta da escolha de bons profissionais. Uma depiladora com técnica saberá utilizar o produto na temperatura segura e removê-lo de forma a evitar lesões ou ruptura dos pelos. Cuidados com a higiene são indispensáveis: a cera deve ser descartável, evitando assim a proliferação de bactérias que podem surgir com o reaproveitamento da mesma. Chato mesmo, nesse caso, é aquela dorzinha na hora da “puxada”. Para quem tem medo e quer experimentar a depilação total, comece aos poucos, avançando a cada sessão.

Os cremes depilatórios funcionam bem para quem quer fugir da dor. É preciso testar o produto com antecedência em outras áreas do corpo para comprovar a ausência de reação alérgica. Outro inconveniente é que, assim como a lâmina, com esse método de depilação os pelos crescem e despontam muito rápido, praticamente no dia seguinte.

Para se livrar por muito tempo dos pelos, o laser é a melhor pedida. “Em média, após realizar seis sessões, demora de oito meses a um ano e meio para que eles nasçam novamente”, explica Suelli Domingues, diretora da clínica Deep Laser. A dor é inevitável, mas existe a possibilidade de aplicar um anestésico tópico trinta minutos antes do procedimento. São apenas alguns disparos e a aplicação deve ser feita por um profissional habilitado para que não haja queimaduras na região.

“A depilação deve ser evitada ao menor sinal de lesão na região. Seja ferida ou infecção, primeiro é necessário tratar o problema para depois dar continuidade”, finaliza o ginecologista.

Intimidade demais pra você?
Muitas mulheres não fazem a depilação completa por vergonha. Deitada em uma maca, é preciso retirar a calcinha para realizar o procedimento. Para a depilação do ânus, a cliente deve virar de costas e afastar o bumbum. Outra técnica é levantar as pernas alternadamente a noventa graus, o que possibilita o acesso à região anal.

O que pode parecer uma situação constrangedora é, na verdade, uma situação muito normal para as depiladoras. Algumas até estabelecem relações de amizade com suas clientes e criam fidelidade. Recentemente, a depiladora de Daniele Winits teria deixado escapar, em primeira mão, que a atriz estaria grávida. Mais intimidade que isso, impossível.

Leia também: Dermatologista de estrelas dá dicas e recomenda tratamentos

    Leia tudo sobre: pelebelezadepilação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG