Tamanho do texto

Helen Kubo Albuquerque sempre sonhou com o grande dia e até provava vestidos de noiva em lojas só para imaginar como seria a data. Depois de imprevistos e tragédia, ela conseguiu a cerimônia que sempre desejou

Desde pequena, a faxineira Helen Kubo Albuquerque sonhava com um casamento tradicional – tanto que sua brincadeira favorita na infância era vestir as camisolas da mãe para fingir que estava se casando. Ela cresceu e o sonho também. Apaixonou-se pelo cabelereiro Diego da Silva e eles começaram a juntar dinheiro para o grande dia, mas um incêndio destruiu os planos. Porém uma “fada madrinha” apareceu e comoveu diversos fornecedores que ajudaram a tornar esse sonho uma realidade.

Leia também: O amor e suas diversas formas

Helen e Diego tiveram um casamento bancado por fornecedores que comoveram com a trajetória da família
Divulgação/Claudia Prata Fotografia
Helen e Diego tiveram um casamento bancado por fornecedores que comoveram com a trajetória da família


“Sempre sonhei com um casamento ao ar livre, com rosas vermelhas e brancas e como meus pais faleceram, entraria com uma foto deles”, conta Helen ao Delas. “Na época de escola, ia com uma amiga a lojas de noiva para provar os vestidos, não tínhamos namorado, mas o sonho era maior. Quando fiquei adulta, eu usava o horário de almoço para ir provar os vestidos, principalmente quando estava triste, pois isso me animava e me dava forças”, acrescenta.

Desde a adolescência, a faxineira ia a lojas de noiva para provar os vestidos e imaginar como seria o grande dia
Divulgação/Claudia Prata Fotografia
Desde a adolescência, a faxineira ia a lojas de noiva para provar os vestidos e imaginar como seria o grande dia


Grandes reviravoltas 

A faxineira perdeu a mãe na infância, quando morava em Apiaí, no vale da Ribeira, interior de São Paulo. O tempo passou, ela começou a namorar e teve três filhos. Até achou que se casaria com o pai das crianças, mas isso não aconteceu. Em 2010, decidiu se mudar com o pai e a irmã para Sorocaba, também interior de São Paulo. Por lá, conheceu seu grande amor, Diego, no mesmo mês seu pai faleceu. A situação dentro de casa ficou difícil, pois a irmã se tornou dependente química e chegou a atacar Helen com uma faca, deixando cicatrizes pelo corpo dela.

Leia também: Idosos que estavam juntos há mais de 65 anos morrem com horas de diferença

Percebendo a gravidade do problema, Diego convidou a amada para ir morar com ele e ela, com medo da irmã, aceitou a proposta. O rapaz assumiu a paternidade das crianças e como muitas famílias de classe baixa, teve dificuldades para sustentar os pequenos. Nesse tempo, o casal teve mais dois filhos. Mesmo com o dinheiro contado, passaram a economizar um pouquinho por mês para um dia conseguir realizar o casamento.

O incêndio não queimou o sonho

Entretanto, em junho de 2016, Helen estava trabalhando quando recebeu uma ligação de seus familiares informando que sua casa estava pegando fogo. “Foi algo super traumático, principalmente pros meus filhos que estavam lá na hora do incêndio. Nós nos reerguemos com ajuda de amigos e parentes que sempre estiveram do nosso lado”, expõe a faxineira. Na tragédia, perderam quase tudo e tiveram que usar as economias que tinham para tentar se reerguer.

"Fiquei com um sentimento de dor, pois sabia que iria demorar muito mais tempo para eu tentar realizar meu grande sonho. Doeu muito, eu guardei aquele dinheiro com o sonho todo realizado na minha cabeça e tudo virou cinzas com o incêndio”, desabafa a noiva.

Uma prima do marido de Helen, Liliane Leal, ficou comovida com a situação e resolveu compartilhar a história do casal com uma amiga que faz eventos de casamento.

Fada madrinha

Ao saber de toda essa trajetória, Liliane resolveu assumir o papel de “fada madrinha” e realizou workshops com fornecedores que topam financiar esse grande sonho. “Ganhei tudo e a Liliane foi perfeita na organização e em todos os detalhes. O vestido foi do jeitinho que sempre sonhei, o buquê da cor que sempre quis (vermelho e branco) e meus filhos foram daminhas e pajens. Até tratamento dentário eu e Diego ganhamos”, diz a faxineira com gratidão.

Leia também: Jovem com câncer terminal tem casamento dos sonhos financiado por estranhos

Graças a Liliane Leal diversos fornecedores ficaram sabendo do desejo de Helen e ajudaram a torna-lo realidade
Divulgação/Claudia Prata Fotografia
Graças a Liliane Leal diversos fornecedores ficaram sabendo do desejo de Helen e ajudaram a torna-lo realidade


Sonho realizado

Durante os preparativos, o coração de Helen ficou a mil e a ansiedade tomou conta da noiva – inclusive, ela teve que aprender a lidar com a insônia até o grande dia chegar. O sonho foi realizado no sábado (4) e superou as expectativas. O casal viveu tudo o que tinha direito, incluindo dia da noiva e do noivo, ensaio fotográfico e uma cerimônia coroada com uma grande festa. Tudo foi bancado por fornecedores que se comoveram com a trajetória de Helen, ou seja, o casal não precisou pagar absolutamente nada.

A cerimônia contou com a participação do familiares e amigos mais próximos e também com a presença de algumas pessoas que participaram dos workshops promovidos por Liliane para ajudar a noiva. Todos vibraram, aplaudiram e comemoraram junto com os recém-casados, afinal de contas eles acompanharam de perto toda a luta do casal que sempre planejou viver esse grande momento. 

Helen entraria na igreja com uma fotos de seus pais, que já faleceram, mas decidiu entrar acompanhada do filho mais velho
Divulgação/Claudia Prata Fotografia
Helen entraria na igreja com uma fotos de seus pais, que já faleceram, mas decidiu entrar acompanhada do filho mais velho


Um dos detalhes mais fofos da celebração foi quando as filhas do casal entraram segurando um quadro com as fotos dos avós maternos. “Essa foi a forma que encontrei de levar meus pais para meu casamento, queria que eles estivessem lá e sei que estavam”, diz Helen, que a princípio entraria com o quadro, mas optou por ser conduzida ao altar pelo filho mais velho.

Leia também: Fotos de casamento ficam inacreditáveis após neve invadir a cerimônia

Um dos momentos mais emocionantes da cerimônia foi quando a filha do casal entrou com o quadro dos avós maternos
Divulgação/Claudia Prata Fotografia
Um dos momentos mais emocionantes da cerimônia foi quando a filha do casal entrou com o quadro dos avós maternos


“Foi muito mais do que eu imaginava, estou super realizada, queria voltar no tempo para fazer tudo novamente e do mesmo jeito”, relata a noiva com empolgação. “Jamais teríamos condições de realizar meu casamento se não fosse com a ajuda dessas pessoas. Sempre sonhei com meu grande dia, com o vestido e as pessoas me olhando de branco. Para o futuro espero muita felicidade e espero que mais pessoas passem por essa incrível experiência que é casar”, conta.

    Leia tudo sobre: amor