Revista norte-americana reuniu depoimentos de médicos e a moral da história é: sexo é bom, mas não custa nada tomar cuidado

São muitos os motivos que levam uma pessoa ao pronto-socorro de um hospital. O que você pode não imaginar é que o sexo está entre eles. Pois é, a relação sexual pode trazer muito prazer ao casal, mas também pode ser bastante perigosa. 

Leia também: 7 lugares e situações em que fazer sexo pode ser perigoso

Em alguns momentos, o sexo pode acabar mal, bem mal
shutterstock
Em alguns momentos, o sexo pode acabar mal, bem mal


A revista norte-americana "Men's Health" perguntou a médicos de pronto-socorro quais as lesões e acidentes relacionados ao sexo eles já tinham visto. Veja a lista e fique alerta! 

1. Cuidado com o molho picante

Um médico do Texas comenta que já atendeu uma paciente com queimaduras leves na região genital. E isso teria sido culpa do parceiro, que havia ingerido uma comida com molho bastante apimentado exatamente antes de praticar sexo oral nela. 

2. Objetos em lugares indevidos

Uma cirurgiã plástica de Nova York fala que teve de ajudar pacientes com objetos nada convencionais presos no reto quando ainda fazia residência. Ela diz que já teve de retirar cirurgicamente do reto de pacientes uma batata e, em outro caso, uma bola rosa de softball. 

3. Objetos em lugares invedidos 2

Um médico da Califórnia contou esse caso ao programa de TV "Sex send me to ER"(Sexo me mandou ao pronto-socorro, em tradução livre). Ele lembrou que estava no PS quando uma mulher chegou se contorcendo, uma criança sofrendo para segurar o xixi. Ela estava acompanhada pelo marido e reclamava de muita dor na região da vagina e da virilha.

Depois de alguns exames, encontraram vestígios de doce na região íntima da mulher e o casal se explicou. Era a primeira noite deles sozinhos desde o nascimento do filho e eles queriam aproveitar. A mulher introduziu na vagina algumas balas, mas elas explodiram quando o marido começou a fazer oral nela, causando inchaço, queimação e irritação. Como tratamento, ela teve de fazer uma irrigação no local e tomar anti-histamínico. O médico falou que a mulher ficou totalmente recuperada após o incidente. 

4. A culpa é do poste?

Um urologista lembra que já atendeu um homem que chegou à emergência com uma fratura de pênis. Esse tipo de lesão pode acontecer durante a transa e algumas posições sexuais são mais arriscadas , mas o que chamou a atenção foi a desculpa dada pelo rapaz. Ele disse que havia se machucado depois de trombar com um poste de eletricidade. Para piorar, o homem foi ao hospital acompanhado pela esposa. O médico conta que, na hora, já sabia que tudo era mentira. Depois, ao longo da consulta e sem a esposa na sala, o homem confessou que estava em uma aventura com uma prostituta. 

5. Anel de casamento não é igual ao anel peniano

O mesmo médico fala que já atendeu um senhor de 60 anos que foi parar no PS com um anel preso ao pênis. Ele tinha problemas para manter a ereção e havia lido que usar um anel na base do pênis poderia contribuir para que a ereção durasse mais tempo. Sim, existe o anel peniano , um brinquedinho sexual que, entre outras características, pode prolongar a ereção. O problema é que o senhor usou o anel de casamento para esse fim. 

Quando chegou ao atendimento, por causa do aperto provocado pelo anel, quase não havia fluxo sanguíneo no pênis e o membro estava a ponto de necrosar. Para piorar, nenhum equipamento disponível era capaz de cortar o tal anel, que era de titânio. Até os bombeiros foram chamados para ajudar. Depois do grande susto, o médico fala que o senhor aprendeu a lição e passou a usar medicamentos prescritos para ajudá-lo nos problemas de ereção.  

Leia também: "Cinquenta Tons de Cinza" impulsiona acidentes constrangedores, dizem bombeiros

6. Aparelho dentário do mal

Outro médico lembra que já atendeu um rapaz que estava com o pênis realmente inchado e machucado. Depois de muitas perguntas, ele confessou que havia sofrido as lesões enquanto recebia sexo oral de um parceiro que usava aparelho nos dentes. O médico detalha que o aparelho cortou o pênis do paciente e, com isso, os cortes foram contaminados com restos de comida, germes e bacterias que estavam no aparelho ou na boca de quem estava fazendo o oral. O rapaz se recuperou depois de fazer tratamento com antibiótico. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.