Outubro Rosa: brasileira é indicada a prêmio internacional pelo combate ao câncer de mama
Reprodução: Alto Astral
Outubro Rosa: brasileira é indicada a prêmio internacional pelo combate ao câncer de mama

Presidente voluntária do Instituto da Mama do Rio Grande do Sul (Imama), a
mastologista Maira Caleffi foi reconhecida pela sua atuação no combate contra o
câncer de mama. Indicada ao prêmio dedicado às pessoas da sociedade civil que trabalham ao longo da vida pelo combate da doença pela União para o Controle Internacional do Câncer (UICC), a brasileira concorre ao lado do presidente norte-americano, Joe Biden.

“Eu estou muito feliz com a nominação deste prêmio internacional. É um
reconhecimento por todo o trabalho de conscientização do câncer de mama que tem sido feito pelo Instituto aqui no Sul, mas também para todas as ONGs associadas à Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), no Brasil”, agradeceu a médica.


Além dos 30 anos atuando no voluntariado gaúcho, a especialista também atua na
liderança do Comitê Executivo do C/Can (City Cancer Challenge), uma ONG
internacional que trabalha para fortalecer os sistemas de saúde no tratamento de
todos os tipos de cânceres.

Maira relembra ainda que o câncer de mama é um problema grave de saúde pública
e nós precisamos, mais do que nunca, trazer essa pauta para a discussão nesse
cenário pós-pandêmico, no qual muitas pacientes acabaram adiando os exames
preventivos e cuidados.

Câncer de mama é a doença que mais mata mulheres no Brasil

Segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional do Câncer, o tumor mamário
maligno ainda é o tipo de câncer mais incidente entre as mulheres e figura em
primeiro lugar entre quatro das cinco regiões do país, perdendo apenas para o
câncer do colo do útero, no Nordeste.

Leia Também

Ainda de acordo com os números divulgados pela entidade em uma pesquisa de
2020, estima-se que sejam registrados, aproximadamente, 66.280 mil casos de
câncer de mama apenas neste ano, o que equivale a cerca de 43,74 mulheres
acometidas pela doença dentre um grupo de 100 pacientes. Outro ponto destacado
nas pesquisas do INCA, de 2021, é sobre a regionalidade: sul e sudeste
apresentam as taxas mais elevadas.

Outubro rosa relembra a importância do autoexame

O Ministério da Saúde destaca em suas ações de controle e combate ao câncer, em
parceria com o INCA, que o principal sintoma do câncer de mama é o aparecimento
de um nódulo duro, irregular e, geralmente, indolor. No entanto, isso não é um
padrão e a doença pode se manifestar de formas variadas.

Portanto, lembre-se de realizar o autoexame nos seios e manter as consultas e
checapes em dia. Se diagnosticada precocemente, a condição poderá ser tratada
de maneira mais efetiva e com um maior índice de cura. Estamos juntas nessa luta!

Fontes: Maira Caleffi, médica especialista em mastologia, presidente do Instituto da
Mama do Rio Grande do Sul (Imama) e líder do Comitê Executivo do C/Can (City
Cancer Challenge); Instituto Nacional do Câncer (INCA); e Ministério da Saúde.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários