Setembro Verde: 7 mitos e verdades sobre o câncer gastrointestinal
Reprodução: Alto Astral
Setembro Verde: 7 mitos e verdades sobre o câncer gastrointestinal

Para além da campanha Setembro Amarelo, o mês também é preenchido pela cor verde e dedicado à conscientização sobre o câncer de intestino . Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), a estimativa é de que surjam 625 mil novos casos de câncer no Brasil entre os anos de 2020 e 2022. Desse total, o câncer colorretal aparece em terceiro no ranking com incidência de 41 mil, enquanto o de estômago figura na quinta posição da lista com cerca de 21 mil.

Os tumores gastrointestinais acometem órgãos do aparelho digestivo, desde o esôfago até o ânus e representam uma grande parcela dos cânceres. Embora fatores hereditários também possam ser atribuídos como causa da doença, existem outros fatores mais influentes. “A maioria surge por meio da transformação maligna das células que revestem esses órgãos. Entre as causas se destacam sobrepeso e obesidade, sedentarismo, tabagismo e etilismo, alto consumo de carne vermelha e processada, baixa ingestão de fibras e vegetais, diabetes e infecções”, clarifica o oncologista Artur Ferreira.

Dessa forma, com os números alarmantes divulgados pela entidade e considerando que o câncer segue sendo a segunda doença que mais mata — ficando atrás apenas de eventos cardiovasculares —, há urgência em falar mais do assunto e deixar a população informada sobre seus sintomas, diagnóstico, prevenção e tratamento. Para isso, o especialista elencou 7 mitos e verdades sobre o câncer gastrointestinal em contribuição ao Setembro Verde . Confira!

7 mitos e verdades sobre o câncer gastrointestinal

Homens estão mais propensos a ter câncer colorretal - VERDADE!

Artur Ferreira: “A diferença não é tão grande, por isso, não motiva diferenças nas diretrizes de rastreamento da doença de acordo com o sexo, mas ela existe. Em termos absolutos e em nível mundial, indivíduos do sexo masculino são mais propensos a ter câncer colorretal. Em 2018, por exemplo, os números de casos de câncer colorretal em homens e mulheres foram, respectivamente, 1.006.019 e 794.958”.

Se um pólipo for detectado, é certeza de que o câncer logo aparecerá - MITO!

AF: “É fato que a maioria dos tumores colorretais surge a partir da transformação maligna de pólipos intestinais, mas apenas uma pequena parcela de pólipos progride para tumores. Quando um pólipo é detectado no exame de colonoscopia, deve ser removido e analisado por um patologista”.

Comer carne vermelha e carne processada em excesso pode levar ao câncer colorretal - VERDADE!

AF: “Dietas ricas em carne vermelha e/ou processadas são associadas a um maior risco de surgimento de câncer colorretal, conforme ratificado em relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2015. Em números, entende-se por consumo excessivo desses tipos de alimentos o que passe de 100 gramas por dia de carne vermelha e de 50 gramas por dia de carne processada. O ideal é que elas sejam ingeridas no máximo duas vezes por semana e, nas outras refeições, sejam substituídas por carnes brancas, ovos, produtos de soja e outras fontes de proteína”.

Leia Também

Se não houver sintomas, como dor na região, não devo me preocupar - MITO!

AF: “Isso é válido não apenas para os tumores gastrointestinais, mas para todos: a ausência de sintomas não significa ausência de doença. Inclusive, é importante destacar que nas fases iniciais os tumores não costumam gerar sintomas e, quando presentes, eles podem ser confundidos com um mal-estar passageiro, como uma dor abdominal, a perda de peso sem motivo ou alguma mudança no padrão de evacuação. Por isso, é importante estar atento aos check-ups de rotina e respeitar as indicações de rastreamento de especialistas médicos mesmo sem sinais aparentes”.

Algumas doenças inflamatórias podem aumentar o risco de câncer gastrointestinal - VERDADE!

AF: “Entre os fatores relacionados ao surgimento de tumores colorretais, as doenças inflamatórias intestinais são causas bem conhecidas e associadas ao aumento do risco. Nos casos de retocolite grave e extensa, por exemplo, o risco de desenvolvimento de câncer colorretal pode ser de 5 a 15 vezes maior do que para a população geral”.

Todas as pessoas com câncer colorretal precisam usar bolsa de colostomia - MITO!

AF: “A colostomia é uma estratégia utilizada em apenas alguns casos de câncer colorretal, como após urgências médicas, obstruções ou perfurações intestinais, cirurgias de emergência ou tumores localizados no canal anal e/ou na parte mais baixa do reto. Entretanto, com a evolução das técnicas e cuidados, a probabilidade de uma pessoa necessitar de colostomia reduziu drasticamente”.

Consumir bebidas muito quentes aumenta o risco de desenvolver câncer gastrointestinal - VERDADE!

AF: “A ingestão de alimentos e bebidas muito quentes, como chá, café e chimarrão, é um fator de risco conhecido para os tumores de esôfago do tipo células escamosas. Isso ocorre porque as altas temperaturas causam lesões na mucosa, a membrana de revestimento interno do esôfago”.

De acordo com o oncologista, a doença tem um alto potencial de cura quando diagnosticada em sua fase inicial. Nesses casos, ele explica que o tratamento pode ser feito por cirurgia, quimioterapia (combinada ou não à radioterapia), terapias com drogas alvo-moleculares e imunoterapia. A melhor opção dependerá do caso. Por isso, realize seus exames, fique atento aos sinais e mantenha a qualidade de vida.

Fonte: Artur Ferreira, médico oncologista com residência médica em Cancerologia Clínica no Hospital Sírio-Libanês, é membro da American Society of Clinical Oncology (ASCO), Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) e Grupo Brasileiro de Tumores Gastrointestinais (GTG), e atua no corpo clínico do Oncoclínicas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários