Tarcísio Meira morre aos 85 anos de Covid-19
Reprodução: Alto Astral
Tarcísio Meira morre aos 85 anos de Covid-19

O ator Tarcísio Meira, de 85 anos, faleu na manhã desta quinta-feira (12) em São Paulo, em decorrência do novo coronavírus. Ele estava internado desde a última sexta (6) na UTI do hospital Albert Einstein, zona Sul da capital paulista, junto com sua esposa, a também atrzi Glória Menezes, de 86 anos, após ambos serem diagnosticados com a doença.

De acordo com o boletim médico divulgado ontem (11), Glória Menezes está se recuperando da doença, em leito comum, porém ainda com auxílio de oxigênio via nasal.

Nas redes sociais do ator, foi publicada uma nota informando sobre seu falecimento. Confira abaixo:

"Por meio desta nota comunicamos o falecimento do nosso querido Tarcísio Meira, nosso eterno João Coragem que lutou bravamente contra essa terrível doença, agradecemos a todos pelas orações e por ter nos acompanhado esse tempo todo, estamos arrasados."

Carreira

Querido por muitos, Tarcísio Pereira de Magalhães Sobrinho nasceu em 5 de outubro de 1935, em São Paulo. Ele atuou pela primeira vez ao lado de Glória Maria em 1961 no Grande Teatro Tupi e os dois se casaram um ano mais tarde. Em 1964, a atriz deu à luz a Tarcísio Filho, também ator e único filho do casal.

Você viu?

Ao longos dos anos, foram mais de 60 trabalhos entre novelas, séries e teleteatros. Entre os títulos mais marcantes da carreira do ator, estão: Saramandaia, Roque Santeiro, Araponga, Fera Ferida, O Rei do Gado, Hilda Furacão, O Beijo do Vampiro, A Favorita, Velho Chico e Orgulho e Paixão, o último trabalho na Globo.

No entanto, talvez o personagem mais famoso de Tarcísio Meira na televisão brasileira tenha sido o rude, porém generoso, João, na novela Irmãos Coragem, de 1970.

Vacinas

Vale mencionar ainda que ambos os atores receberam a segunda dose da vacina contra a Covid-19 em março deste ano, na cidade de Porto Feliz, interior de São Paulo. Contudo, apesar das vacinas serem, sim, eficases no controle de doenças e reduzirem o risco de infecção, não são infalíveis e, portanto, não proporcionam 100% de proteção.

Assim, mesmo com a vacinação avançando no Brasil, é necessário manter as medidas de segurança adotadas desde o ano passado por conta da pandemia , como o distanciamento social, uso de máscaras de proteção, álcool em gel e higienização das mãos com água e sabão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários