Guia das unhas: o que elas dizem sobre a sua saúde?
Reprodução: Alto Astral
Guia das unhas: o que elas dizem sobre a sua saúde?

Os cuidados com as unhas ganham cada vez mais espaço no mundo da beleza. Para além de um simples esmalte, atualmente a gama de opções estéticas para deixar as mãos mais bonitas são muitas: alongamento, unhas de gel, de fibra, postiças, polimento e por aí vai.

Contudo, será que damos a devida atenção para a saúde da unha que está por baixo de toda essa personalização? Conferir o aspecto, cor e textura é fundamental para saber se a saúde está em dia. Assim, se engana quem pensa que esses cuidados são apenas dermatológicos, pois alterações nas unhas podem ser indicativos de diversas doenças que atingem o organismo como um todo.

"Qualquer alteração pode não ser uma mera coincidência. Se as unhas não estão saudáveis, seja pela coloração ou aparência, elas podem estar denunciando muito sobre como anda nosso corpo" destaca a dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) Adriana Vilarinho.

Atenção aos sinais

Segundo a médica, alguns sinais aparentemente simples podem ser um alerta para fazer uma investigação mais profunda de como anda a saúde. Confira quais são eles e o que indicam:

  • Unhas muito claras: podem indicar deficiências nutricionais, falta de proteína ou ferro, problemas hormonais e até mesmo anemia;
  • Unhas esbranquiçadas: pode ser sinal de doenças hepáticas ou renais, cirrose, insuficiência cardíaca, diabetes, infecção fúngica, alterações genéticas, vitiligo e hanseníase;
  • Unhas amareladas: atente-se às doenças pulmonares e hepáticas, psoríase, diabetes, infecções fúngicas ou reação a algum medicamento;
  • Unhas com manchas brancas: normalmente, essas manchas aparecem durante a variação hormonal do ciclo menstrual ou em decorrência do uso de antibióticos e não indicam nenhum problema de saúde. Porém, em alguns casos, vale investigar doenças como vitiligo e hanseníase;
  • Unhas onduladas: em geral, a ondulação é um sinal normal do envelhecimento, mas esse aspecto pode também denunciar algumas patologias. Entre elas, podemos citar: doenças infecciosas, psoríase, dermatite atópica e lúpus. A causa ainda pode ser reação às medicações mais fortes, como no caso da quimioterapia;
  • Unhas rachadas: as rachaduras podem ser um sinal para diminuir o uso de esmaltes, acetonas e outros produtos químicos, bem como podem denunciar também carência de vitaminas, ferro e ácido fólico, desnutrição e doenças endócrinas, como distúrbios na tireoide;
  • Unhas quebradiças: se descama em excesso ou quebra com facilidade, fique atenta com problemas na tireoide, dermatose e anemia.

Dessa forma, se notou alguma dessas alterações nas unhas, a orientação da especialista é marcar uma consulta médica com um clínico geral ou dermatologista — responsável por cuidar dessa parte do corpo — para uma investigação mais minuciosa e, se necessário, um tratamento adequado. Ela ressalta ainda que a automedicação nunca deve ser feita.

Você viu?

Mantendo as unhas saudáveis

Se você examinou suas mãos e não notou nenhum dos sinais descritos acimas, pode seguir algumas dicas simples e seguras para continuar mantendo as unhas saudáveis e com a aparência bonita.

"Corte-as sempre em formato quadrado para evitar que encravem; não roa; não retire toda a cutícula, pois ela fornece proteção contra infecções; nunca compartilhe alicate, lixas, palitos ou tesouras; após o banho, enxugue bem, evitando micoses e use luvas nas tarefas domésticas", aconselha Adriana.

Além disso, a dermatologista relembra a importância de usar produtos antialérgicos e, se possível, recomendados por um especialista, e manter uma alimentação equilibrada e rica em proteínas, que garantem mais fortalecimento às unhas.

Fonte: Adriana Vilarinho, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Academia Americana de Dermatologia (AAD).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários