Alto Astral

Dores nas costas: 5 explicações para você aprender a lidar definitivamente com o problema
Reprodução: Alto Astral
Dores nas costas: 5 explicações para você aprender a lidar definitivamente com o problema

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada dez pessoas, oito terão queixas de dores nas costas em algum momento da vida. E essa estimativa vem se confirmando, considerando que nos últimos meses a busca por "dores nas costas" no Google cresceu significativamente.

Uma das explicações para o aumento na procura é o home office . Esse novo modelo de trabalho, adotado como medida contra o contágio pela Covid-19, trouxe novos hábitos às vidas das pessoas. Porém, trabalhar no sofá ou na cama, por exemplo, é prejudicial à coluna.

Por se tratar de um problema de saúde tão recorrente, conversamos com o ortopedista do Hospital Albert Einstein, Luciano Miller, para tirar as principais dúvidas buscadas sobre o assunto. Saiba mais!

Quais tarefas do dia a dia podem desencadear as dores nas costas?

O médico explica que variadas atividades podem causar a dor. É importante atentar-se aos movimentos que fazem flexão, rotação ou extensão exagerada no tronco, ou seja, mais bruscos. Além disso, levantar e arrastar pesos de maneira inadequada tendem a contribuir com esse desconforto.

Ele alerta, também, para pessoas que já tenham alguma alteração na coluna ou musculatura fraca, pois, essas serão mais frágeis e suscetíveis a sentir dores.

Tomar analgésicos sem saber a causa da dor é prejudicial à saúde?

"Tomá-los por dois ou três dias não causará prejuízo, mas se a dor persistir, não adiantará insistir no uso da medicação sem orientação médica", pondera o ortopedista. Portanto, é preciso buscar um profissional que investigue a causa e passe a medicação de maneira correta.

Existem mudanças no estilo de vida capazes de aliviar as dores?

Você viu?

Perder o peso excessivo, praticar atividades físicas e adotar posturas melhores são as principais indicações de Luciano.

Quando procurar um médico?

Miller alerta para casos em que não há melhora do quadro dentro de poucos dias ou quando a dor irradia para membros inferiores e superiores, é acompanhada de formigamento ou sensibilidade, ou decorre de um trauma forte.

"Extremos de idade devem ser fatores para a busca de ajuda médica, também. Em crianças, por exemplo, a dor nas costas não é comum, portanto, pode estar associada a causas mais graves. Já nos idosos é preciso investigá-la, pois, nessa faixa etária há muitas chances de o paciente apresentar lesões na coluna", ressalta o especialista.

Quais são os tratamentos mais indicados?

Segundo o ortopedista, o primeiro passo é entender a causa daquele sintoma, de modo a obter um diagnóstico. Depois, inicia-se o tratamento, sempre considerando medicações que aliviem a dor.

Nos casos em que os remédios não forem suficientes, poderá haver indicação de fisioterapia ou acupuntura. "Em menos de 5% dos pacientes indicamos algum procedimento dolorido ou cirúrgico", ele finaliza.

Consultoria: Luciano Miller, ortopedista do Hospital Albert Einstein.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários