Alto Astral

Barra de protena: saiba como inclu-la na sua dieta para emagrecer
Reprodução: Alto Astral
Barra de protena: saiba como inclu-la na sua dieta para emagrecer

Você com certeza já passou por uma prateleira no mercado com várias delas… Mas, por certo preconceito ou até desconhecimento, decidiu não levá-las. As barras de proteína , no entanto, são ótimas aliadas de quem pratica exercícios , está em busca de um corpo mais definido ou quer deixar a dieta mais completa.

A barrinha é uma forma fácil, rápida e eficiente de garantir a ingestão proteica em momentos em que a praticidade se faz necessária. Seu consumo deve ser distribuído ao longo do dia, de modo equilibrado, pois desempenha um papel significativo na recuperação muscular pós-esforço e no balanço corporal. Confira!

Benefícios da barra de proteína para a dieta

Composição

As barras proteicas podem ser compostas por diferentes fontes (proteínas do leite , soja, ovo, arroz e até ervilha). Aquelas que incluem proteína de alta qualidade, ou seja, alto valor biológico, contribuem para um bom aporte de aminoácidos essenciais – que auxiliam na manutenção e recuperação de massa muscular. As barrinhas também podem conter outros ingredientes como carboidratos, vitaminas, minerais e lipídeos.

Disposição

Tais ingredientes, principalmente carboidratos e lipídeos, podem auxiliar no fornecimento de energia. De modo geral, a qualidade e a quantidade dos nutrientes adicionais influenciam não apenas nos aspectos nutricionais, mas também nos parâmetros sensoriais, como textura e sabor da barra.

Facilidade

A barra de proteína é um alimento prático, que não precisa de refrigeração ou preparação, sendo uma excelente alternativa para lanches intermediários, especialmente para quem busca hipertrofia. Em provas de longa distância (como ultramaratonas), às vezes é necessário que o atleta se alimente durante a competição. Nesses casos, essa barrinha é uma boa escolha para assegurar a ingestão proteica.

Você viu?

Complemento

Vale lembrar também que as barras proteicas são alternativas e complementares, pois não substituem as proteínas sólidas do cardápio do dia a dia. Caso queira inseri-las na sua alimentação, é importante filtrar as que possuem uma boa composição, ou seja, ricas em nutrientes e pobres em carboidratos como o açúcar .

Texto: Vítor Ferreira | Edição: Mariana Oliveira e Renata Rocha

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários