Tamanho do texto

Cerimônia era para ter ocorrido em 1º de junho, mas imprevistos forçaram o adiamento da festa; noivos não acham que jogo vá atrapalhar o casamento

A Copa do Mundo é um evento que mobiliza milhares de pessoas. Mesmo quem não gosta tanto assim de futebol para tudo o que está fazendo para assistir aos jogos e torcer. Inclusive, existem aqueles para os quais a época é sagrada e que nada pode ser marcado em dia de jogo. Mas e quem não se atenta tanto assim para futebol e acaba marcando alguma coisa nas datas dos jogos? Bom, no caso dos paulistanos Luiza Barbieri e Pedro Paulo Hummel, eles marcaram o dia do casamento para 15 de julho, justamente a final da Copa do Mundo.

Leia também: Vai ver jogos da Copa do Mundo em casa? Veja 5 dicas de petiscos para servir

Luiza e Pedro afirmam que ter o dia do casamento marcado para a final da Copa não vai afetar a festa
Arquivo pessoal/Aloha Fotografia
Luiza e Pedro afirmam que ter o dia do casamento marcado para a final da Copa não vai afetar a festa


Para muitos, essa escolha de  dia do casamento pode parecer absurda. Pode ser sinônimo de uma festa vazia. Mas, para o casal, só significa que a festa pode ser ainda maior - principalmente se a seleção brasileira chegar à final e ganhar a Copa do Mundo . “A cerimônia está marcada para às 15h [o jogo será às 12h]. Dá tempo de assistir ao jogo e chegar para o casamento. Se o Brasil ganhar, o pessoal com certeza estará ainda mais feliz, mas em nada mudará o nosso dia”, diz Luiza em entrevista ao Delas .

Ela confessa, contudo, que, a princípio, ficou bastante chateada ao perceber que a cerimônia aconteceria no mesmo dia da final. “Não queria dividir as atenções do meu dia com um eventual jogo do Brasil ”, diz. Mas ela ficou aliviada ao perceber que até os convidados entraram no clima. “Mesmo que o Brasil não chegue na final ou não ganhe, todo o mundo vai esquecer disso na festa. Nenhum convidado falou ‘não vou porque é a final da Copa’”, reforça Luiza, afirmando ainda não ter considerado em nenhum momento mudar a data.

Leia também: 5 tendências de beleza que veremos apenas durante a Copa do Mundo

“Era para tudo ter acontecido no dia 1º de junho, mas deu tudo errado, então essa festa sai agora!”, conta. Luiza e Pedro deveriam ter se casado no mês passado, porém, a data acabou ficando bem em meio à greve dos caminhoneiros que parou o país. Como resultado, os fornecedores não conseguiram entregar o que era necessário para a cerimônia: comida, decoração, flores - nada.

“Eu desabei, era o meu sonho sendo destruído. O Pedro segurou as pontas, resolveu tudo no mesmo dia. Dia 15 de julho foi o único dia em que todos os fornecedores podiam, mas só depois descobrimos o porquê. Quando fechamos essa data o dia do casamento, nenhum deles nos avisou que era a final da Copa”, detalha Luiza. Para ela, ninguém estava preocupado com aquilo naquele momento, só queriam que a festa acontecesse, pois já haviam se casado no civil e sairiam para a lua de mel antes de realizar a festa, por impossibilidade de mudar a data da viagem.

Antes do dia do casamento: a história de Luiza e Pedro

Luiza e Pedro se conheceram na época do colégio, em 2005, e estão juntos desde 2014
Acervo pessoal
Luiza e Pedro se conheceram na época do colégio, em 2005, e estão juntos desde 2014


Apesar de terem times do coração, Luiza e Pedro não são muito fãs de futebol, até por isso não estavam tão ligados ao calendário da Copa do Mundo e não se importaram tanto com a coincidência das datas. Ela é são-paulina, e ele, santista, os dois se conheceram na escola, com 15 anos, em 2005.

“Sempre fomos amigos, apesar de eu sempre ter sido apaixonada por ele. Depois de muita história, começamos a namorar em agosto de 2014 e não nos largamos mais”, ela conta. O pedido de casamento veio no fim de 2016, um dia antes do aniversário de Luiza. Pedro enviou uma carta ao trabalho dela dizendo que passaria em sua casa mais tarde para jantar e continuar sua história juntos. “Meu coração parou”, diz.

Chegando em casa, ele tinha deixado alguns presentes para ela, incluindo um vestido para que usasse no encontro, em um restaurante romântico. “Depois que terminamos a sobremesa, o garçom chegou com outra sobremesa em que tinha uma caixinha e a pergunta: ‘Casa comigo? Eu te amo’. Eu chorei muito, e o restaurante todo bateu palmas”, relembra.

Leia também: Musas da Copa: esta é realmente a melhor forma de homenagear mulheres?

Agora, Luiza espera que o dia do casamento , cuja festa será realizada em uma casa de eventos em Vinhedo, município de São Paulo, seja tudo o que os dois sonham e esperam há tanto tempo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.