Tamanho do texto

Marca internacional causa polêmica ao usar termo que instiga a escravidão em produto e divide opiniões de fashionistas

Mais uma vez, os estilistas italianos Domenico Dolce e Stefano Gabbana provocam revolta nos os internautas e dividem opiniões no mundo da moda.

Os estilistas Domenico Dolce e Stefano Gabbana
Reprodução/Instagram
Os estilistas Domenico Dolce e Stefano Gabbana


Após notícias de sonegação de impostos, plágio e comentários preconceituosos sobre fertilização in vitro, a dupla por trás da marca mostra extremo mal gosto ao titular uma sandália com o termo 'slave' - que quer dizer escravo, em português. O calçado colorido, com pom-pons e pedrarias, está a venda na loja online por $ 2.395 (£ 1.682) e são parte da nova coleção Primavera-Verão 2016, descrita como "uma declaração de amor para a Itália, contada através de roupas exclusivas e acessórios em uma viagem imaginária através das maravilhas deste país."

Sandália Slave
Reprodução
Sandália Slave


Muitos fãs ficaram horrorizados com a escolha do nome e pelo preço altissímo, acusando a marca de racismo nas redes sociais. Mas muitas pessoas defenderam, dizendo que o termo é comum na indústria fashion.

Descrição da sandália no site
Reprodução
Descrição da sandália no site


Antigamente, 'slave' remetia as sandálias com amarrações nos tornozelos que faziam sucesso nos filmes bíblicos de Hollywood. Hoje em dia, a palavra foi adaptada e o calçado é bastante conhecido como gladiador.

A Dolce & Gabbana não quis comentar o ocorrido, mas alterou a descrição no site.