Minha Saúde

As crianças pequenas estão constantemente mostrando aos pais que prestam atenção no que eles dizem. Com isso, muitas vezes acabam reproduzindo as palavras e expressões. Isso pode acontecer de forma agradável, com frases engraçadas e surpreendentes. Mas e quando as crianças falam palavrões? O que fazer?

criança arrow-options
shutterstock
Crianças repetem palavrões que ouvem em casa ou na escola

Apesar de não saberem o que significam, as crianças possivelmente escutam palavrões e xingamentos com certa frequência. “Não temos como impedir que eles sejam expostos a isso”, diz Jacqueline Sperling, PhD, psicóloga clínica e instrutora da Harvard Medical School.

Leia mais: As 6 mentiras que os pais mais contam para os filhos

Prova disso é que o estudo da Harvard comprovou que, aos oito anos de idade, as crianças já conhecem cerca de 54 palavras consideradas “tabu”.

As crianças imitam palavrões que escutam

“A imitação é uma grande parte do desenvolvimento”, diz Sperling. As crianças vêem e ouvem o que é dito depois que alguém bate no dedo do pé ou grita com outro motorista, e querem fazer o mesmo. Nesse momento, elas observam se isso deixa as pessoas chateadas ou riem. Dependendo da reação dos adultos, isso pode estimulá-las a repetir o comportamento.

Além disso, as crianças consideram que o lar é um lugar seguro para ficar chateado. É por isso que as crianças sofrem colapsos quando voltam da escola. Depois de um dia seguindo as regras, eles precisam se soltar, explica o Dr. Eugene Beresin, diretor executivo do Clay Center for Young Healthy Minds no Massachusetts General Hospital e professor de psiquiatria na Harvard Medical School.

Como você pode lidar com palavrões?

Felizmente, as crianças dessa idade estão se tornando mais socializadas, principalmente através da escola . Eles sabem que os adultos agem de maneiras que as crianças não conseguem. Por exemplo, o vovô grita palavrões na televisão enquanto assiste a um jogo de futebol. Eles também sabem que existem regras diferentes para lugares diferentes – eles não vão à escola ou ao supermercado sem as calças. “Eles entendem o contexto”, diz Beresin.

Leia mais: Qual a quantidade ideal de brinquedos para o meu filho?

Então, considere o contexto. Se os palavrões forem galopantes, você provavelmente teria ouvido falar do professor ou diretor. Ainda assim, não é algo para incentivar. As crianças ainda precisam de lembretes ocasionais de regras para viver. Portanto, quando ouvir palavrões, tente aplicar essas regras.

  • Faça uma pausa antes de dizer qualquer coisa. Você não deve dar muita atenção a comportamentos indesejados, diz Sperling.
  • Pergunte por quê.  Tente entender o que a criança estava sentindo quando disse. Dessa forma, poderá entender se estavam com raiva ou frustrados.
  • Resolução de problemas juntos. De que outra forma você poderia dizer isso? O que você diria se estivesse na escola ou na casa da vovó? “Você está construindo o repertório deles. Nosso trabalho de ser pai é dar a eles ferramentas sobre o que fazer e dizer em diferentes contextos ”, diz o Dr. Beresin.
  • Explique um comportamento aceitável. Se a palavra foi direcionada a outra pessoa, expresse claramente que isso não é aceitável. “É um ataque, e não atacamos outras pessoas com palavras ou fisicamente. Está fora de cogitação ”, diz Beresin. Explique também que as pessoas cometem erros e pedem desculpas por eles.
  • Incentive a compreensão através de perguntas. Questione como ela se sente ao falar essa palavra. Como você se sentiria se falassem para você? Como você se sentiria se eles pedissem desculpas? Tudo isso ajuda a criar empatia. Quando eles mostrarem empatia, elogie-os. Apoie o comportamento que você deseja ver.
  • Seja concreto. As crianças mais novas não entendem sutilezas, mas entendem a definição de bom, ruim, sim e não. Por isso, seja simples e diga que xingar é algo que os adultos fazem. É feito em casa, não na loja, na casa de um amigo ou no consultório médico. Dê exemplos práticos, como as regras da escola, que eles já conhecem, para reforçar o contexto do que uma criança pode ou não fazer.

    Veja Também

      Mostrar mais