Tamanho do texto

A vacinação contra a gripe durante a gravidez e o puerpério tem papel fundamental para garantir tanto a saúde da mulher quanto do bebê

Entre os principais cuidados durante a gestação, manter o calendário de vacinas em dia é uma tarefa fundamental para evitar complicações. Entre aquelas que devem ser tomadas nesse período, estão a vacina da gripe, influenza, Hepatite B e a tríplice bacteriana acelular do tipo adulto (DTPA) ou dupla do tipo adulto (DT).

Leia também: Saiba como se proteger das complicações da gripe durante a gravidez

Grávida tomando vacina
shutterstock
Especialistas afirmam que a vacina contra a gripe durante a gestação é fundamental para garantir a saúde da mãe e do bebê

No entanto, muitas mães hesitam em aderir às campanhas de vacinação, principalmente a vacina da gripe , por acreditar que ela pode fazer mal a ela ou ao bebê. Um dado do Ministério da Saúde aponta que apenas 38% das gestantes tem a preocupação de se imunizar.

Ao contrário do que se imagina, a vacina não causa gripe na gestante ou em qualquer pessoa. De acordo com o Ministério da saúde, a vacina contra a gripe usa vírus inativado (morto) em sua composição, portanto, não é possível que provoque a doença causada pelos três tipos de vírus contidos na vacina.

Em entrevista ao Delas , o ginecologista e obstetra Domingos Mantelli enfatiza a importância da imunização nesse período. De acordo com ele, as mulheres que estão em período gestacional ou pós-parto ficam mais susceptíveis a infecções causadas por gripes e resfriados.

"Durante este período, o corpo cria um mecanismo que diminui, temporariamente, as defesas imunológicas do organismo, para não haver rejeição ao feto”, explica.

Leia também: Pode tomar remédio de gripe durante a gestação?

Vantagens da vacina da gripe

Grávida no médico
shutterstock
A vacinação contra a gripe durante a gravidez também é importante para evitar parto prematuro

O profissional reforça a importância da vacinação contra a gripe , pois, ao se imunizar contra a doença, a mãe protege tanto a si quanto o bebê. “Ela inclusive tem direito à versão gratuita, oferecida na campanha do Ministério da Saúde”, fala.

A especialista em ginecologia e obstetrícia Maria Elisa Noriler explica como a vacina funciona no corpo da gestante. "A produção de anticorpos pela mãe após ela ser vacinada, passará para o feto pela placenta e após o nascimento pela amamentação, evitando doenças como tétano coqueluche, hepatite e até mesmo gripe por influenza", fala.

Outro fato é que a dose da vacina também diminui a probabilidade de parto prematuro, uma situação que coloca a mãe e o bebê em risco. “Além disso, os anticorpos produzidos pelo organismo da mãe a partir da vacinação passam para o feto através da placenta. Em outras palavras, a proteção contra a gripe vai se estender para o filho”, completa Domingos Mantelli.

Essa proteção também será fundamental para os primeiros meses de vida da criança, já que o sistema imunológico ainda está se desenvolvendo e fortalecendo.

Além da vacina durante a gravidez , é importante de mães no puerpério, ou seja, mulheres que estão no período pós-parto (até 45 dias). Dessa forma, o bebê recebe os anticorpos fabricados pela mãe através da amamentação.

Muitas mulheres também ficam em dúvida sobre se vacinar no sistema público ou privado. De acordo com o ginecologista e obstetra, o importante é que ela tome a vacina da gripe, independente do lugar.

Leia também: Sete dicas para uma gravidez saudável

Outras formas de manter a imunidade alta durante a gravidez

Grávida sentada no sofá tomando suco de laranja
shutterstock
Além da vacina da gripe, é fundamental que a gestante adote hábitos saudáveis para manter a imunidade alta

Além da vacinação, existem algumas formas de manter a imunidade alta durante os meses de gravidez. Em entrevista prévia ao Delas , Maria Elisa Noriler também explica que é fundamental ter momento de repouso e sem estresse, cuidando sempre para ter noites bem dormidas.

O consumo de vitamina C, que pode ser feito por sucos e frutas, como limão e laranja, também é importante. Maria Elisa também comenta que as gestantes podem tomar polivitamínicos específicos para grávidas, mas apenas sob orientação médica.

“Evitar variações térmicas também é uma boa. Essa coisa de ficar entrando e saindo de ambientes com ar condicionado para outros mais quentes e abafados pode ser prejudicial, justamente porque exige mais do sistema respiratório”, fala.

Dessa forma, combinar a vacina da gripe com hábitos saudáveis durante a gestação e o puerpério é a melhor forma de garantir a saúde da mãe e do bebê.

    Leia tudo sobre: gravidez