Tamanho do texto

Charlie Parker surpreende ao cuidar de crocodilo em parque da Austrália e deixa os pais, que são funcionários de lá, orgulhosos: "Ele tem vocação"

Os pais de Charlie Parker trabalham no Ballarat Wildlife Park, na Austrália, e cuidam de animais como ninguém. Desde que Julia Leonard engravidou, ela e o marido decidiram que o filho teria contato com os bichos do espaço desde cedo, e talvez seja por isso que Charlie, aos oito anos, ame um crocodilo.

Leia também: Cuidados para proteger seu filho dos perigos do verão

Garoto interage com o crocodilo Crunch e turistas ficam impressionados com seu desempenho no parque da Austrália
Reprodução/Youtube
Garoto interage com o crocodilo Crunch e turistas ficam impressionados com seu desempenho no parque da Austrália


"Quando as pessoas me vêem, elas ficam impressionadas porque eu sou muito jovem”, diz orgulhoso à Barcroft TV. O garoto, que já tem até um uniforme para ajudar os pais no trabalho, adora cuidar do crocodilo chamado Crunch e já é considerado uma atração à parte no parque da Austrália.

Turistas e visitantes não perdem a oportunidade de fotografar o garotinho mostrando que realmente domina as técnicas para cuidar do réptil. “Meus amigos acham que sou legal porque trabalho com animais o tempo todo e eles querem ser como eu um dia. Quando crescer, quero ser um profissional da área”, afirma com segurança.

O parque conta com cerca de 50 espécies de répteis e 20 de mamíferos. Os pais de Charlie contam que acompanham o filho pelo espaço, mas garantem que ele já está pronto para se aproximar de qualquer animal sozinho.

“Meu filho gosta de trabalhar com os pinguins, os mamíferos, e principalmente os répteis. Ele é muito natural com todos, é como um pequeno David Attenborough (biólogo), na verdade”, explica Greg Parker.

Leia também: Supervisão constante dos pais torna as crianças mais inseguras

O pequeno ressalta que não tem medo de nenhum bicho, já que lida com eles desde cedo. A primeira vez que tocou no crocodilo que tanto ama foi aos três anos de idade e de lá para cá não o largou mais.

“Criei uma relação de confiança com ele”, afirma Charlie, que segundo o pai, tem uma vocação que não dá para esconder de ninguém: “Todos percebem que ele ajuda muito aqui no parque, mesmo sendo novinho, e acham isso bonito.”

Crocodilo já preocupou pais e conhecidos

Charlie coleciona cicatrizes de mordidas que levou de cobras, jarés e crocodilos, mas continua sem medo dos animais
Reprodução/Youtube
Charlie coleciona cicatrizes de mordidas que levou de cobras, jarés e crocodilos, mas continua sem medo dos animais


Os pais de Charlie, embora deixem o filho de oito anos circular pelo zoológico, já se preocuparam com a relação do garoto e o crocodilo, mas perceberam que o menino realmente leva jeito para o negócio e não corre riscos.

“O Charlie respeita o Crunch. Ele é um grande crocodilo selvagem e bastante perigoso, mas Charlie está bastante confortável com ele, entra lá o tempo todo, sabe seus limites”, afirma.

Leia também: Jogos de desafios preocupam pais e psicólogos: saiba como proteger seu filho

O menino, inclusive, coleciona algumas cicatrizes pelo corpo e seus pais, que também mostram as suas com orgulho, acreditam que isso é natural e faz parte do trabalho. “Todos nós temos dedos mordidos e algumas cicatrizes ao longo dos anos, Charlie está ganhando as dele”, diz. “Eu já fui mordido por uma cobra, um crocodilo e um jacaré”, completa o garoto, sem se importar com a dor ou demonstrar traumas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas