Tamanho do texto

Autora de um blog, a mulher diz que não pagar a pensão não é a única coisa que torna o ex-esposo um mau pai e recebe apoio nas redes sociais

Um divórcio é um processo muito complicado para um casal e ele se torna ainda mais difícil quando envolve os filhos . Na maioria dos casos, é exigido que as crianças recebam um valor pré-determinado de pensão alimentícia do genitor que possui melhor salário - normalmente o pai. Entretanto, muitos homens não pagam a pensão para suas ex-esposas. Foi isso que aconteceu com a autora do blog “Mãe solteira ainda de pé” (tradução literal para Single Mum Still Standing).

Leia também: Guia do divórcio: especialistas respondem principais dúvidas

Em desabafo, mãe expõe, por exemplo, o que o ex-marido pensa que ela faz com a pensão alimentícia contra o que ela realmente faz
Facebook/Reprodução
Em desabafo, mãe expõe, por exemplo, o que o ex-marido pensa que ela faz com a pensão alimentícia contra o que ela realmente faz


A autora, cuja identidade não é revelada, tem dois filhos e escreve em seu blog e redes sociais sobre a vida de uma mãe solteira. Num desses posts, ela fez uma carta de desabafo direcionada ao ex-marido falando sobre o fato de ele não querer pagar pensão alimentícia para as crianças.

No texto, ela esclarece que está recorrendo às redes sociais para evidenciar o comportamento dele porque ele não responde as mensagens dela, e procede para explicar o que faz com o dinheiro da pensão que ele se recusa a pagar pensando que ela o gasta consigo mesma.

“Todo o dinheiro que você me manda não é usado para pagar os meus feriados. Eu não uso o seu dinheiro para pagar pelas minhas roupas. Seu dinheiro não me ajuda a pagar a mensalidade da minha academia, nem vai para a minha poupança (que nem existe). Deixe-me soletrar isso para você: qualquer dinheiro que você paga para ajudar a criar os nossos filhos, vai direto para eles. Eu tenho dois empregos para poder bancar o meu estilo de vida e as crianças”, começa ela.

Leia também: Pensão sem teste de DNA e mais direitos legais das grávidas

A autora, então, detalha no quê ela gasta a pensão que o ex-marido resiste em pagar. Ela cita a hipoteca da casa dela, “que coloca um teto sobre a cabeça das crianças”, e os gastos com a residência; roupas para os filhos; gastos extra com a escola (passeios e uniformes, diz); aulas de natação e futebol; festas de aniverário dos dois, “que a sua esposa ainda não te deixa frequentar porque, mesmo depois de todo esse tempo, ainda tem ciúmes”; presentes de aniversário, “que você se esquece de comprar”; seguro de saúde, entre outros.

“Você devia experimentar andar nos meus pés por um dia para perceber que o dinheiro é essencial em prover o estilo de vida que nossos filhos merecem”, defende. “Eu sei que você não pagar, ou pagar atrasado, ou não pagar o valor correto é a última forma de controle que você ainda exerce sobre mim. Você deve se sentir tão poderoso quando atrasa cinco dias, só porque você pode e eu não posso fazer nada a respeito. Que homem você é”.

Ela ainda pede que ele não faça os filhos dos dois sofrerem, reforçando que ele ainda tem uma responsabilidade financeira com eles, independentemente do que aconteceu entre ele e “a mulher que uma vez amou o suficiente para ter dois filhos junto”.

“Querido pai que não paga a pensão alimentícia, você é um inútil”, ela diz ainda, afirmando que tudo o que ela tenta é dar aos filhos uma vida similar à que eles teriam caso o casal tivesse ficado junto, pontuando que o divórcio não é culpa dos pequenos.


Ela também ressalta outras falhas do ex-companheiro, como faltar na apresentação de teatro do filho depois de ter prometido a ele que compareceria e se recusar a levar os filhos em suas aulas de dança e futebol no dia que estão com ele.

“Eu não espero que você faça a coisa certa. Você uma porcaria de pai. Por sorte, eles têm a mim”, conclui.

Reações

Muitas pessoas, principalmente mulheres, apoiaram o relato da autora, concordando com o ponto dela e até compartilhando as próprias histórias de ex-maridos ausentes, que falham em pagar o combinado e até que devem quantias enormes de dinheiro devido aos atrasos ou não pagamentos.

Outras, entretanto, disseram que a experiência não reflete o que acontece em todos os casos e que existem pais (homens) comprometidos e responsáveis.

Leia também: Separação? Casal decide reatar relação durante audiência por pensão

Infelizmente, a situação redigida pela autora do blog é, sim, a mais comum. Apesar de ela relatar algo que acontece no Reino Unido, no Brasil não é muito diferente. Apenas em São Paulo, de acordo com dados da Polícia Civil do Estado pedidos pelo "R7", aumentou em 2017 o número de pais presos por não pagarem pensão alimentícia para os filhos. O levantamento aborda os meses de janeiro a outubro do ano, quando quase 65 homens eram presos por dia por conta do crime, totalizando mais de 19.700 prisões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.