Tamanho do texto

Criança se divertiu com os pais durante o final de semana. Confira algumas dicas e saiba como aproveitar os dias de festa com os pequenos

A pequena Lucilia, de 1 ano, roubou muito mais do que a cena na estreia do bloco de carnaval Marquei de Combinar, no último domigo (28), no Lá em Cima Bar, em São Paulo.

Leia também: Glitter ecológico ou comum: qual é melhor para o carnaval?

A menina, filha de Gustavo Girotto, se empolgou com o carnaval e com a música e não conteve sua vontade de pegar das mãos do ritmista as baquetas para fazer barulho também.

O vídeo já tem mais de mil visualizações no perfil do Facebook do pai. "Ela virou estrela do bloco, foi incrível. Falaram até o nome dela, ela foi a ritimista mais nova de São Paulo. Ela marcha certinho, no compasso. Conquistou todo mundo e foi uma das estrelas do bloquinho, ficamos com muito orgulho", diz o pai. "A Lucilia é filha de um carnavalesco de Taquaritinga que adora o carnaval. Isso é uma tradição de família, o carnaval está presente no sangue. Ali estava um ambiente muito familiar e agradável", finaliza Girotto.

Assista ao vídeo:


Carnaval com as crianças

O carnaval das passarelas do samba, impróprio para menores, não precisa ser a única forma de comemorar o feriado. As crianças podem, sim, fazer parte da bagunça, se divertir com ela e chegar à quarta-feira de cinzas alegres, inteirinhas e contando muitas novas experiências.

Matinês especiais para todas as faixas etárias são muito comuns. Costumam ser organizadas tanto em clubes, associações e empresas privadas quanto por grupos de pais. Para muita gente, esse é o melhor jeito de introduzir o carnaval para os pequenos. 

Leia também: 4 ideias de fantasias para crianças inspiradas nos personagens mais queridos

O pediatra Marcelo Reibscheid, do Hospital São Luiz, em São Paulo, fala sobre alguns cuidados que os pais precisam tomar. “Como as festas costumam acontecer em ambientes mais fechados, é importante vestir as crianças com roupas leves e observar bem as fantasias prontas. Peças confeccionadas com tecidos pesados ou que ‘não respiram’ podem causar desde fadiga até problemas de pele nas crianças”, diz o médico. 

Hidratação é outra palavra de ordem. “Sucos, leite e muita água devem ser oferecidos – lembrando que, no caso do leite, o melhor é levar o produto em pó e misturar à água filtrada na hora de servir. Se o leite é pronto, é vital ter certeza de que ele está bem acondicionado longe do calor”, diz Marcelo.

Leia também: Mãe que vai desmamar filho de apenas 3 semanas abre discussão sobre amamentação

Sinais de cansaço, como choro que não cessa e birra, indicam que talvez a festa acabou. “Não se deve ‘torturar’ a criança até a exaustão. Bateu o cansaço? De volta para casa, banho morno e cama”, completa Marcelo Reibscheid.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.