Tamanho do texto

Condição agrava bastante enjoos e vômitos dos primeiros meses da gestação

Kate Middleton, a duquesa de Cambridge, está esperando o terceiro filho com o príncipe William. A família real britânica deu a notícia da gravidez de Kate nesta segunda-feira (04) com um comunicado na página oficial do Palácio de Kensington no Twitter. 

Leia também: Entenda como acontece, os sintomas e características da gravidez

O casal príncipe William e Kate Middleton está a espera do terceiro filho
Kensington Palace / Divulgação
O casal príncipe William e Kate Middleton está a espera do terceiro filho


Além do anúncio da nova gravidez , o comunicado também dizia que, assim como nas gestações dos dois primeiros filhos, Kate Middleton, que é mãe de Charlotte, de 2 anos, e George, de 4 anos, sofre de hiperêmese gravídica. Você sabe que é isso?

Enjoo e vômito

Apesar do nome bastante complicado, a condição nada mais é do que um agravamento dos enjoos e vômitos comuns aos primeiros meses de gestação. Estima-se que 75% das mulheres tenham náuseas entre a 5ª e a 12ª semana da gravidez, mas apenas 2% tem a condição apresentada por Kate, com enjoos e vômitos severos. Quando esperava Charlotte, segunda filha. a duquesa precisou ficar internada porque não conseguia se alimentar adequadamente por conta dos vômitos causados pelo problema. 

Leia também: Mãe dá à luz no carro, e bebê nasce na bolsa amniótica

Também nesta segunda, o jornal britânico "Metro" traz uma reportagem que dá mais detalhes sobre a hiperêmese gravídica. Em casos mais graves, a muher chega a vomitar 50 vezes por dia. Com isso, não consegue se alimentar adequadamente, já que acaba expulsando todos os alimentos que ingere como vômito. Além disso, a futura mamãe também pode sofrer com desidratação, perda de peso e problemas de baixa pressão. 

Outro problema dessa condição, segundo especialistas consultados pelo jornal, é que diferente das náuseas consideradas normais, ela pode durar até o nascimento do bebê. E apesar de não se ter ainda claro quais as causas, se ela acontece na primeira gravidez, é provável que se repita nas próximas, como no caso da Duquesa de Cambridge. 

Tratamento para a hiperêmese gravídica

A condição geralmente nào faz mal ao bebê de tratada corretamente. De acordo como jornal, há medicamentos que podem ser usados desde as primeiras semanas da gestação que combatem o enjoo e vitaminas, como B6 e B12. 

Em alguns casos, como já aconteceu com Kate Middleton, os medicamentos orais não resolvem a mãe deve ficar internada para receber um tratamento intravenoso. Dessa maneira os médicos controlam a condição e asseguram a saúde da mamãe e do bebê. 

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.