Tamanho do texto

Estudo aponta as consequências até de pequenas quantidade de bebida durante e gestação e pretende observar evolução desses bebês

A recomedação médica é não ingerir bebida alcóolica durante a gestação e um novo estudo indica que até pequenas quantidades deste líquido pode afetar o bebê. A pesquisa mostra que a bebida pode resultar em alterações na formação do rosto das crianças. 

Leia tudo sobre gravidez

Estudo indica mais um problema que pode ser causado pela bebida alcóolica durante a gestação
shutterstock
Estudo indica mais um problema que pode ser causado pela bebida alcóolica durante a gestação


Manter o hábito de ingerir bebida alcóoli ca regularmente traz consquências graves ao feto que podem resultar em má formação e, no futuro, distúrbios de atenção e comportamento e baixo QI. Entretanto, as pequenas quantidades da bebida podem acarretar mudanças físicas nas crianças, indica estudo do Murdoch Children’s Research Institute em Victoria, na Australia. As informação são do portal "New Scientist". 

Para a pesquisa, foram observadas 1570 mulheres durante suas gestações e depois do nascimento de seus filhos. Desse grupo, 27% continou ingerindo algum tipo de bebida com álcool na gravidez. 

Leia também: Médicos divergem sobre o que grávidas podem ou não fazer durante a gestação

Pequenas mudanças

Quando os filhos dessas mulheres completaram um ano, o grupo de pesquisadores tirou mais de 400 fotos deles com múltiplas câmeras e de ângulos diferentes. Usando um softwear de computação gráfica, as imagens foram compiladas e foi possível ver minuciosos detalhes dos rostos dos pequenos.

Comparando os filhos das mães que ingeriram bebidas com aquelas que não beberam álcool, os pesquisadores notoram mudanças sutis nos rostos deles. Os filhos do primeiro grupo tinham o nariz levemente menor e mais arrebitado. E até uma quantidade pequena de álcool já apresentou relação com a essa alteração nas crianças. Essa mudanças, entretanto, não são perceptíveis a olho nu. 

"Os resultados indicam que a bebida causa alguns efeitos, ainda que bastante sutis", afirma Jane Halliday, líder do estudo. Ela também diz que esses efeitos podem não ser permanentes, já o rosto da criança muda muito nos primeiros dois anos de vida. 

Leia também: 6 hábitos que você precisa eliminar antes de ficar grávida

A pesquisadora ainda fala que mulheres que beberam pequenas quantidades de bebida alcóolica não precisam se alarmar. "Até agora, não indentificamos nenhum problema com o qual as pessoas devam se preocupar", diz. Mesmo que o álcool tenha efeitos nocivos, outros fatores também estão relacionados à saúde e formação dos bebês, como hábitos da mãe e alimentação. Jane espera que um dia essas imagens em 3D possam ajudam a identificar até casos leves da chamada "síndrome do álcool fetal", quando o bebê é afetado pela ingestão de bebidas alcóolicas na gestação. 

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.