Tamanho do texto

"Eu conseguia sentir tudo o que acontecia da cintura para baixo, mas não para cima. Eu me senti no inferno", diz a mãe sobre como se sentiu no parto

A australiana Kacey Butterworth, 23 anos, passou toda a gravidez do segundo filho planejando um parto da natural na água. Porém, tudo deu errado. Ela foi ao hospital com quase 40 semanas de gestação acreditando que a bolsa havia estourado, mas os médicos descobriram que um detalhe colocava a vida da criança em risco e ela deveria ser submetida a uma cesárea. 

Leia também: Entenda como acontece, os sintomas e características da gravidez

Jovem perdeu parte dos sentidos durante a cesárea e foi  submetida a uma anestesia geral para que o filho pudesse nascer
Reprodução/Daily Mail
Jovem perdeu parte dos sentidos durante a cesárea e foi submetida a uma anestesia geral para que o filho pudesse nascer

Na realidade, a bolsa da jovem estava intacta e o bebê estava na transversal. Essa posição impede a realização de um parto natural, exigindo que a mulher seja submetida a uma  cesárea . "O bebê estava de lado e, se a minha bolsa tivesse rompido, o cordão umbilical teria descido antes da cabeça da criança", conta a mãe ao portal britânico "Daily Mail". Se isso tivesse acontecido, o cordão poderia sufocar o bebê e matá-lo. 

Os médicos então aplicaram uma raquianestesia, que tira a sensibilidade dos membros inferiores para a realização do parto. No entanto, Kacey reagiu de forma inesperada. "Quando você está sob o efeito de uma anestesia geral, você recebe a máscara de gás que te coloca para dormir e, na sequência, você recebe o medicamento que ajuda a desacelerar os órgãos para o procedimento. O contrário aconteceu comigo", afirma.

Leia também: "Coisa mais incrível que já fiz"; mãe tira a filha do útero durante o parto

Reação

A anestesia deixou a jovem mais elétrica do que o normal e, quando a anestesia chegou até o cérebro, os pulmões de Kacey desaceleraram. Como consequência, ela perdeu a visão, a audição e a sensibilidade em partes do corpo. "Eu conseguia sentir tudo o que acontecia da cintura para baixo, mas não para cima. Eu me senti no inferno", desabafa.

Ela conta que o corpo ficou tremendo de forma incontrolável e que ela apresentava dificuldades para respirar. Para piorar, ela começou a vomitar. "Eu estava tão assustada. Eu não tinha ideia do que estava acontecendo. Começou com uma dor na minha perna, que subiu para o meu braço. Parecia que alguém estava me esfaqueando", conta.

Leia também: Taxa de parto cesariana diminui no país pela primeira vez desde 2010

Kacey acrescenta que ficou em pânico com toda a situação e chegou a pensar que morreria ali mesmo. “Eu ouvi alguém gritar ‘código vermelho’ e que eu precisava ser colocada sob anestesia geral imediatamente. Eles colocaram a máscara no meu rosto, dizendo que tudo ficaria bem", desabafa.

Os médicos aplicaram uma anestesia geral na jovem e finalizaram a cesárea. Aproximadamente duas horas depois, ela acordou e conheceu o bebê.  “Eu estava tão aliviada. Não consigo nem colocar o sentimento em palavras. Apenas sentir a pele dele e olhar para aquele pequeno humano que eu e meu marido criamos foi incrível", finaliza. 

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.