Tamanho do texto

A técnica utiliza o DNA de duas doadoras e um doador, permitindo que doenças genéticas sejam evitadas. Veja mais detalhes

A Universidade de Newscastle anunciou que ainda esse ano será feito um procedimento para que o primeiro bebê de três pais biológicos da Grã-Bretanha se desenvolva. Para que isso seja possível, eles utilizarão o procedimento de fertilização in vitro com o DNA de duas doadoras e um doador. 

Leia também: Entenda como acontece, os sintomas e características da gravidez

Com a técnica de fertilização in vitro é possível que a criança tenha três pais biológicos
Shuttersock
Com a técnica de fertilização in vitro é possível que a criança tenha três pais biológicos

De acordo com os médicos, é necessário mais de dois doadores porque isso evitaria o desenvolvimento de doenças mitocondriais. Para alcançar esse objetivo, utiliza-se o espermatozóide do pai, o óvulo da mãe e a mitocondria de uma terceira doadora. Ou seja, pode-se dizer que o bebê que nascer a partir desse método terá três pais biológicos .

Como o método utilizado é a fertilização in vitro, os especialistas explicam que é possível substituir o DNA mitrocondrial defeitusoso do óvulo da mãe pelo DNA saudável de uma doara. Assim, a troca evita que a criança desenvolva possíveis doenças. 

As mitrocôndrias são pequenas estruturas presente dentro de quase todas as células do corpo humano e trabalham convertendo os alimentos em energia. De acordo com os médicos, algumas mulheres apresentam defeitos genéticos nas mitocôndrias e isso pode ser passado para os filhos. É aí que surge a necessidade de uma segunda doadora do sexo feminino. 

Leia também: O número ideal de óvulos para uma fertilização de sucesso

Evolução

De acordo com os pesquisadores do tema, esse método de fertilização com três doadores pode mudar a vida de muitas pessoas. Isso porque, quando há a possibilidade de troca de um DNA mitocondrial defeituoso, evita-se que doenças genéticas graves sejam passadas para gerações futuras, entre as doenças, a síndrome de Leigh, que afeta o sistema nervoso central do bebê em desenvolvimento. Por esse motivo, incentiva-se que outras mulheres se voluntariem para doar um óvulo com mitocôndria saudável. 

Leia também: As escolhas limitadas da fertilização in vitro

Outros casos

Esse não será o primeiro caso de uma criança com três pais biológicos, existem registros em outros dois países. No México, em setembro de 2016, nasceu o primeiro bebê com DNA de três doadores diferentes. O segundo caso foi na Ucrânia, em janeiro de 2017. 

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.