Tamanho do texto

Meditar durante a gestação regula as alterações hormonais, melhora a insônia e a respiração. Saiba mais detalhes sobre essa prática

A gravidez é uma fase marcada por mudanças biológicas e sociais na vida da mulher. Passar por todo esse processo de alteração hormonal e de preparação para a chegada do bebê  é extremamente cansativo e exaustivo para muitas gestantes. Por isso, é muito importante buscar atividades para tranquilizar o organismo e estabilizar os sentimentos. A meditação pode ser uma ótima opção para as futuras mamães.

Leia também: Saiba quais são os benefícios da prática de ioga para as gestantes

Praticar a meditação controla as alterações hormonais da gestação
Shuttersock
Praticar a meditação controla as alterações hormonais da gestação

A meditação  é uma prática que busca a tranquilidade da mente, com exercícios de concentração e respiração. De acordo com Andrea Chisini, professora com dez anos de experiência na área, praticar o exercício é comprovadamente positivo para a saúde da mãe e do bebê. 

Veja quais são os principais benefícios de meditar durante os meses que antecedem o parto: 

Leia também: Sete atividades físicas para uma gravidez mais saudável

Hormônios controlados

Como a prática propõe uma série de exercícios que deixam a mulher mais relaxada, o fluxo de de hormônios do estresse, como o cortisol, a adrenalina e o ácido lático, diminui consequentemente.  "Meditar também equilibra as funções hormonais na mulher, aumentando quantidade de hormônios que provocam a sensação de bem-estar, entre eles o DHEA e a melatonina, o que facilita a amamentação após o nascimento do bebê”, explica a especialista.

Bem-estar e relaxamento

Além disso, de acordo com Andrea, meditar ajuda a regular a pressão da gestante, suavizar a respiração e os batimentos cardíacos. E os benefícios não param por aí, a prática também melhora a insônia, comum entre as mulheres grávidas, e diminui o risco de pré-eclâmpsia, ou seja, o desenvolvimento de hipertensão após a vigésima semana de gestação.

Leia também: Praticar exercícios durante a gravidez pode deixar o bebê mais inteligente

Bebês também são beneficiados

Para os bebês, Andrea explica que os efeitos também são muito positivos. “Meditar durante a gestação auxilia no desenvolvimento pleno do sistema nervoso do feto", afirma. As chances de a criança desenvolver distúrbios como déficit de atenção, depressão e até mesmo autismo também diminuem com a prática. 

Gostou da ideia e quer tentar praticar a meditação? Reserve um espaço tranquilo, coloque uma música calma e relaxe!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.