Tamanho do texto

Oferecer alimentos pastosos durante muito tempo pode atrasar o desenvolvimento da fala das crianças. Veja como mudar isso

A alimentação de bebês e crianças está intimamente ligado ao processo de aprender a falar nos pequenos. De acordo com a fonaudióloga Nathália Zambotti, a consistência dos alimentos é capaz de favorecer ou prejudicar o desenvolvimento das estruturas responsáveis pela fala.

Leia também: Aprenda a introduzir alimentos sólidos na dieta do bebê

Uma alimentação rica em frutas e verduras consistentes auxilia o desenvolvimento da fala
Shuttersock
Uma alimentação rica em frutas e verduras consistentes auxilia o desenvolvimento da fala

Nathália explica que quando as crianças seguem uma alimentação pastosa por muito tempo, os músculos do rosto e da língua, importantes para o desenvolvimento da fala, tornam-se cada vez mais flácidos. Por evitar que isso aconteça, a fonaudióloga orienta que purês, papinha e mingaus sejam oferecidos esporadicamente após o primeiro ano de vida. 

De acordo com a especialista, é essencial que os pequenos consumam e mastiguem bem frutas, verduras, legumes, carnes, grãos, pães e biscoitos. Afinal, esses alimentos favorecem o desenvolvimento das estruturas do rosto e a adequada articulação dos sons da fala. Em alguns casos, a falta de mastigação de alimentos consistentes como esses pode interferir na efetividade da comunicação e distorcer os sons. 

Leia também: Ex-MasterChef dá dicas para deixar frutas e verduras mais atraentes às crianças

"O neurodesenvolvimento e a capacidade de deglutição e mastigação precisa andar alinhado aos componentes nutricionais adequados para cada idade", explica Nathália. Para garantir isso, a fonaudióloga lista quatro dicas práticas para introduzir na rotina alimentar das crianças. Confira:

Prato colorido

"Crie pratos coloridos e com alimentos mais sólidos. Além de despertar a curiosidade, isso ajuda na manutenção dos músculos da região oral", indica. Você também pode misturar sabores e temperaturas.

Contato com o alimento

É muito importante permitir que a criança tenha contato com a comida. Permita que ela manuseie os alimentos, se suje e tente comer comer sozinha. 

Leia também: Veja como ensinar seu filho a comer bem e saudável

Não ao liquidificador

O uso do liquidificador não é recomendado por nutricionistas por destruir as fibras alimentares. Opte por amassar os alimentos com garfo. Além do contato, as criança percebe o que está sendo oferecido a ela.

Crianças na cozinha

Para que o momento da alimentação seja completo, a fonaudióloga sugere que os pais deixem as crianças participarem do preparo dos alimentos ou da organização da mesa. Eles podem colocar a toalha e organizar pratos e talheres, por exemplo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.