Círculo astrológico
Reprodução/Canva
Círculo astrológico


A astrologia vive um auge com as redes sociais  há alguns anos. Até quem não gosta ou diz que não acredita, acaba se rendendo aos memes que circulam na internet. São essas piadas sobre características gerais dos signos que levaram os astrólogos tradicionais a criar um novo termo: a signologia. Ela nada mais é do que quando as pessoas seguem levando os signos apenas como brincadeira ou usando somente algumas características quando convém.

Tatiane Lisbon, conhecida nas redes sociais como Papisa, fala que só tomou conhecimento do termo agora que está estudando astrologia tradicional.  “Eu falava que se nada desse certo, eu ia trabalhar com signos. Hoje estou aqui, fazendo o que amo e servindo até de exemplo para os pais de amigos que antes diziam que eu não ia ter futuro.”

O que é astrologia?

De acordo com a especialista, a astrologia é um modelo de metalinguagem que estabelece uma breve ordem nos pensamentos, concebendo um diálogo entre as pessoas e os astros - o famoso "assim na Terra como no céu". “A astrologia faz todo o sentido porque micro e macro possuem uma relação íntima entre si. Essa metalinguagem antiga funciona como uma verdadeira bússola nos orientando volta e meia na vida.”

Astrologia e astronomia

A astróloga explica que a astronomia nasceu da astrologia, e as duas se divorciaram somente no século XVII. Até então, ambos os conhecimentos caminhavam juntos, sem distinção. “A diferença essencial entre a astrologia e a astronomia é que a primeira busca um significado nas configurações celestes, algo que a Astronomia não leva em consideração.”

Você viu?

Outro ponto que Tatiane fala é sobre a função da astrologia como um calendário, marcando ciclos mais longos - as famosas eras. “O fato da Astrologia e ter como base o estudo do céu, levando em consideração ciclos longos e muito superiores à duração da vida humana, derruba a hipótese de que a Astrologia tenha surgido para a agricultura ou apenas para o autoconhecimento (como entendemos hoje em dia). O conceito de signologia é ainda mais novo e mesmo sendo aplicado como uma derivação da Astrologia, é necessário entender a diferença nas técnicas de cada uma delas”, diz.

Astrologia e signologia

Tatiane não acredita que o termo signologia irá crescer entre o público, permanecendo apenas entre quem estuda a astrologia. Ao ser questionada se atribuir uma característica de um signo à uma pessoa é astrologia ou signologia, ela fala que não é nem uma coisa nem outra.

“Acredito que para identificar pontos realmente coerentes sobre uma pessoa é preciso ser algum profissional especializado em psicologia/psicanálise ou algo do tipo. A astrologia assume um lugar muito mais lúdico na hora de falar sobre a vida e, se no caso for essa a abordagem buscada pela pessoa, então sim tem muito o que viajar nas águas do autoconhecimento místico.”

Questionada sobre porque quem não acredita em astrologia deve dar uma chance para ela, Tatiane fala que a astrologia é a busca de um calendário que explique um pouco das vivências humanas.

“ Acredito que seja hora das ciências em geral, assim como a astrologia e a própria psicologia, fazerem um novo esforço em busca de uma pós-verdade com mais compreensão, em vez de só ficarem colecionando fatos isolados dentro de suas bolhas. A vida real é muito mais complexa e toda abordagem disponível ainda é pouca quando lidamos com ela.”

Mas ela também tem um recado para as pessoas que levam a astrologia muito a sério: a intenção de uma ferramenta oracular nunca é dar respostas ou definir as coisas pela pessoa, tirando a responsabilidade dela. “Como seres conscientes, precisamos aprender a melhor forma de conduzir a nossa vida e os mapas astrológicos são singelas ferramentas neste processo pessoal e intransferível”, finaliza.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários