30% da população brasileira é acometida pela hipertensão.
Unsplash
30% da população brasileira é acometida pela hipertensão.

Diagnosticada com hipertensão arterial em 2018, a recepcionista Flávia de Carvalho, 34, passou por uma transformação de vida ao longo dos anos. Com um quadro severo de hipertensão, ela pouco considerava as recomendações médicas. Até que sua médica falou que ela tinha grandes chances de sofrer um ataque cardíaco fulminante. Porém, após a mudança de seus hábitos cotidianos ajudou com que ela escapasse desse risco. 

“A minha cardiologista sempre me alertava que a qualquer momento poderia ter uma parada cardiorrespiratória se continuasse sedentária, negligenciando minha saúde”, recorda Flávia, que hoje está há 6 meses sem tomar remédio para controlar a pressão arterial. 

“Estava com 86 kg e não fazia nenhum exercício. Com o isolamento imposto pela pandemia, ficava em casa comendo, dormindo e assistindo TV”, conta.  A partir desse momento, Flávia iniciou uma jornada de mudança hábitos. O primeiro passo foi começar a praticar atividades físicas, em casa mesmo, fazendo aulas via Queima Diária (plataforma de exercícios on-line).

“Nos primeiros meses conseguia concluir uma aula de 14 minutos em 25 minutos, pois sentia muito desconforto, tinha sempre que parar para respirar e tomar água, a visão ficava escura em alguns momentos. Aos poucos fui ganhando resistência até conseguir fazer os exercícios sem pausar a aula”, conta.

Após 12 meses dedicados aos treinos, juntamente com uma alimentação a base de frutas, verduras, ovos, frango, arroz e batata doce, Flávia conseguiu perder 22kg e viu o quadro de hipertensão estabilizar.

Leia Também

Leia Também

“Hoje posso afirmar que combati a hipertensão e tenho a vida totalmente transformada, já são seis meses que não necessito de remédios para estabilizar a pressão arterial. Minha disposição aumentou 100%, troco o uso do transporte público por uma boa caminhada de 40 minutos no retorno do trabalho todos os dias”, diz.

Em relação à alimentação, atualmente Flavia segue um plano alimentar orientado por uma nutricionista. “Às vezes vou à um churrasco, desvio do plano, mas está tudo bem. No dia seguinte volto ao à rotina alimentar e aos treinos e sigo”, afirma.

Treinos rápidos ajudam a inserir atividade física na rotina, evitando doenças como hipertensão

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia, cerca de 30% da população brasileira é acometida pela hipertensão, devido a fatores como estresse, ansiedade, maus hábitos alimentares e sedentarismo, que podem agravar o quadro da doença.

Para deixar o sedentarismo, não é necessário se transformar em uma atleta olímpica da noite pro dia. O ideal é começar a se movimentar aos poucos, para que o corpo vá se habituando. 

“Para começar a movimentar o corpo, sempre recomendo começar com poucos minutos diariamente, colocando as atividades em brechas do dia, como parte da hora do almoço ou em algum intervalo possível no meio da tarde. Dessa forma, o corpo vai sendo fortalecido no seu ritmo, além de ser mais difícil abandonar atividade física”, diz Flávio Areal, mestre em Educação Fisica. “À medida em que o corpo sinalizar que precisa de mais estímulo, gradativamente a atividade ganhará mais tempo”, finaliza.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários