Nova comentarista do programa de Mariana Godoy na Band , Veronica Oliveira já era conhecida na Internet por comandar a página Faxina Boa, no Facebook. Com mais de 100 mil seguidores, a história dela começou com um simples post de divulgação em grupos de serviços domésticos para mulheres na mesma rede social. 

veronica oliveira
Divulgação
Com mais de 100 mil likes na página no Facebook, Veronica conta um pouco da vida de trabalhadora doméstica


Em entrevista ao Delas, a influenciadora conta que trabalhava em uma empresa de telemarketing e que tinha um bom salário, até que a empresa faliu, em 2015. "Nesse período, fiquei morando na casa de uma amiga de infância com meus filhos e procurando um outro emprego. Tive que optar pelo primeiro que vi, com um salário mínimo e poucas vantagens", afirma.


Por não ter mais condições de prover o mesmo estilo de vida de antes, ela desenvolveu depressão. "Morar com minha amiga, apesar de ser uma amiga do coração, hospedada com dois filhos, não tem como ficar confortável. Então, quando ela decidiu ir embora do Brasil em meados de 2016, me vi sozinha e desesperada, pois teria que me virar com um salário mínimo para cuidar dos meus dois filhos, pagar aluguel e contas. Isso tudo culminou em uma depressão profunda e tive de ser internada em uma clínica psiquiátrica".

Após sair da clínica, Veronica começou as faxinas. Primeiro, para uma amiga, que divulgou a faxina para outras, criando uma pequena rede de serviços. "Minha rede de amigas que me auxiliou no primeiro momento. Depois, quando comecei a procurar mais serviços, divulguei meu trabalho doméstico primeiro em grupos de mulheres, pois tinha receio de entrar nas casas de desconhecidos. Então a rede de amigas tanto on-line quanto na vida real fizeram a Faxina Boa dar certo", lembra.

Ao fazer um post diferente dos normais de divulgação de faxina, Veronica viralizou nas redes sociais. "Não tive nem tempo de assimilar, três dias depois do meu primeiro post fui até entrevistada na televisão. Foi tão esquisito que eu não estava muito preparada. Com o tempo todas as outras coisas que vieram foram muito rápidas, até eu entender que era uma oportunidade de criar um conteúdo que ninguém fazia, demorou. Criei a página no Facebook para fugir dos mais de 6 mil pedidos de amizade no meu perfil pessoal", conta.

Com a criação da página, vieram os convites para fazer palestras. Também on-line, Veronica descobriu que um professor da Universidade de Brasília havia publicado na rede social de negócios LinkedIn um artigo mostrando como a página Faxina Boa havia mudado a percepção sobre as domésticas. "Fui no post e ao ver o perfil dele, vi que ele dava aulas de storytelling. Ali usei meu alcance e pedi para ele um curso de presente, já que mudei a visão dele. Quando ele veio para São Paulo, ele me deu o curso e em uma conversa, o professor me chamou para uma palestra, dizendo que tinha talento para a comunicação. Obviamente recusei, mas ele não aceitou e eu tive que ir. Fui desesperada, mas foi ótimo! Agora, de um gancho na parede para meus crachás de palestras e eventos que fui convidada, já tenho 3 bem cheios e irei comprar o quarto!", comemora.

Nessa jornada pela Internet, o conteúdo de Veronica já mudou a vida de muitas pessoas, seja de trabalhadoras domésticas ou dos patrões. "Penso que não mudo só a vida de faxineiras. Em algumas palestras pessoas vêm falar comigo, falando que a percepção de serviço doméstico mudou e que elas têm vergonha de como tratavam faxineiras. Ou até pessoas que saíram do trabalho doméstico e apostaram na vocação ou até o contrário. Sinto que meu trabalho muda a cabeça das pessoas e isso é muito doido!", diz ela.

Mesmo com a relevância na mídia, a profissional diz que ainda há uma parcela de pessoas não compreende seu trabalho. "Para uma galera, não importa o que eu faça além do trabalho doméstico, tem gente que olha e vê uma pessoa da periferia que não tem estudo e coisas assim. Acontece mais do que eu gostaria ou mesmo pessoas que acham que produção de conteúdo não é um trabalho. É doido ver que tudo o que trabalhei não é muito bem reconhecido como trabalho. Para quem já tem preconceito embutido, não muda nada, mas por outro lado essas pessoas são irrelevantes perto das pessoas legais e das situações que estão ocorrendo na minha vida, então não me ligo muito", afirma.

Convite para a televisão


Influenciadora, palestrante e agora comentarista de televisão! No novo programa dirigido por Zeca Camargo e apresentado por Mariana Godoy, Veronica Oliveira irá comentar sobre faxina e trabalho doméstico. O convite veio de forma inusitada. "A produção me ligou falando que o Zeca gostaria de conversar comigo e eu disse: tá me tirando né? Mas era real! O mais engraçado é que estou escrevendo o livro e o convite veio enquanto escrevia a parte dos meus sonhos de infância, um deles era ser apresentadora da MTV, por conta dele e da Astrid Fontenelle. Foi surreal lembrar de algo dos meus 11 anos e agora com 39 estar trabalhando ao lado dele", conta.

O que Veronica considerava pequeno, agora tem outro significado. "Agora entendo que o pouco que pensava que fazia é tão importante. Para mim e para outras pessoas, que isso é uma construção de carreira. Foi tudo muito rápido, mas nada caiu no meu colo, fui atrás e conquistei esse espaço tão importante".

    Veja Também

      Mostrar mais