Há quatro anos, Marcela*, 36, estava cheia de planos ao lado do marido, Maurício*, até que descobriu a traição dele com uma ex-namorada. 

Reprodução/Pixabay
Mulher Grávida

Tudo começou em 2015. Marcela -- na época, com 31 anos -- ainda trabalhava como caixa em um supermercado e conheceu Maurício, com 28, na rua, enquanto ia para o trabalho. "Eu estava indo para meu trabalho e ele começou a olhar para mim, eu o achei bonito e correspondi. Dei um sorriso e ele veio falar comigo." No dia seguinte, os dois saíram, mas ele já disse para ela que ainda era muito apaixonado pela ex, mas que não pensava em voltar para ela.

O relacionamento ia evoluindo rapidamente e os dois decidiram morar juntos pouco depois de se conhecerem. Em poucos meses, ela deixou a sua casa para viver ao lado dele na casa da sogra.

Na ocasião, tudo fazia sentido, mas, hoje, Marcela avalia que se precipitou. "Ele estava há uns três meses separados da ex quando iniciamos nosso relacionamento e logo fomos morar juntos. Esse foi meu erro. Eu me precipitei em morar com um homem que ainda amava outra mulher."

Eu me precipitei em morar com um homem que ainda amava outra mulher."

Não demorou muito para que ela engravidasse. Foi aí que as coisas começaram a desandar. "Eu engravidei e, quando fui contar da gestação, ele fechou a cara. Pediu para tirar na hora e começou a dar um monte de desculpas do tipo: 'não é a hora' e 'não temos condições'...", relembra.

Fim do conto de fadas

Foi então que todos os planos dela de criar uma família foram se desfazendo. "Sempre fui contra o aborto, mas, como realmente fazia pouco tempo que tínhamos ido morar juntos, optei por fazê-lo", conta. "Fiz por influência e medo da reação dele. Fui obrigada a concordar porque ele começou a gritar dizendo que eu era louca em botar filho no mundo naquelas condições."

Passado o aborto, Marcela pensou que os dois voltariam a viver bem, mas não demorou muito para que o sonho virasse um pesadelo. "Um certo dia, quando cheguei do trabalho, encontrei a ex dele com uma bebê de seis meses no colo, dizendo que era filha dele, e que eles já estavam juntos desde quando fui morar com ele. Meu mundo caiu, eu fiquei sem chão", diz.

Casal
Reprodução/Unsplash
Não demorou muito para que o conto de fadas de Marcela e Maurício acabasse

Marcela decidiu voltar para a casa da mãe, mas não demorou muito para que ele a procurasse pedindo perdão pela traição. "Ele apareceu pedindo desculpas, chorou e disse que eu não merecia passar por isso." Ela o perdoou.

Pouco depois, os dois decidiram se mudar para não encontrarem frequentemente com a mãe da criança, mas foi em vão. "Eu tentei fazer dar certo. Mudamos para outra casa, mas ele era apaixonado por ela. Eles continuavam a se encontrar. Com a filha, ele tinha mais uma desculpa para ir à casa dela", conta.

Pouco depois, Maurício decidiu deixar Marcela e voltou definitivamente para a ex. Além da filha, que hoje tem 4 anos, os dois tiveram mais um bebê. "Ele tem dois filhos com ela, são felizes -- ou pelo menos é o que parece nas redes sociais", diz Marcela, que acompanha a vida do casal através das rede e da ex-sogra.

"Amor é para os trouxas"

Até hoje, ela conta que não conseguiu superar a traição. "Não superei a humilhação de ver uma mulher com um bebê nos braços do homem que eu tinha como marido. Eu tinha vergonha de todos saberem que ele tinha engravidado outra mulher, e justamente a ex", lembra.

Mulher triste
Reprodução/Unsplash
"Eu criaria meu filho sozinha, mas fui idiota, ingênua e cai na lábia dele."

"Eu o enchia de presentes, carinho, amor e, para ele, isso não representava nada. Podia ter sido sincero, contado a verdade, contado que voltou para a ex, que ela engravidou e separado de mim. Não precisava ter deixado chegar a esse ponto, esfregando na minha cara que os dois estavam juntos como se eu não tivesse um pingo de sentimento. Dói até hoje."

Atualmente, Marcela vive com o atual companheiro, mas é firme em dizer que não sente nada por ele e que não acredita no amor. "Seguir em frente ainda é difícil. Moro com um homem por quem não tenho amor. Eu não consigo amar. Para mim, acabou. Amor é para os trouxas."

Fui idiota, ingênua e cai na lábia dele"

Marcela se arrepende de não ter levado a gravidez adiante. "Podem até achar que foi melhor eu não ter tido o filho com ele e que isso foi livramento, mas me arrependo muito de ter feito o aborto. Eu criaria meu filho sozinha, mas fui idiota, ingênua e cai na lábia dele."

* Os nomes foram alterados a pedido da entrevistada

    Veja Também

      Mostrar mais