Na última semana, três denúncias de abuso sexual vieram à tona. Em comum, não apenas o fato de envolverem grandes astros, mas também de terem sido divulgadas pelo Twitter. Duas das denúncias acusavam o cantor  Justin Bieber e o uma o ator Ansel Elgort , todas feitas por meninas que, à época, eram fãs dos artistas.


justin bieber
Divulgação
O cantor Justin Bieber usou seu perfil no Twitter para se defender das acusações de abuso sexual feitas contra ele

O caso do Justin Bieber, porém, tomou um rumo específico. O cantor utilizou seu perfil no Twitter para se defender das acusações, postando prints e até nota fiscais que provariam sua inocência. “Rumores são rumores, mas abuso sexual eu não consigo levar numa boa”, disse o astro em um de seus tweets.

Tudo isso jogou lenha na fogueira da discussão sobre debates importantes que as redes sociais possibilitam versus a facilidade de disseminar informações falsas nesses mesmos espaços. Quando se trata de denúncias de machismo e abuso, plataformas como Twitter têm crescido enormemente ao trazer essas questões à tona, mas nem sempre essas se provam verdadeiras.

A Joanna Burigo, mestre em Gênero, Mídia e Cultura, acredita que não tem como evoluir nesse debate sem o reconhecimento da deslegitimação histórica de denúncias feitas por mulheres. Deslegitimação essa que incentivou mulheres a buscarem um meio alternativo para fazerem suas denúncias e tornou a internet um desses lugares.

"Pra mim, é indiscutível a importância que a internet teve como ferramenta de denúncias e abusos machistas e patriarcais. Como as campanhas do #MeToo e #MeuPrimeiroAssédio que conectaram certas narrativas de uma forma que nós nunca tínhamos visto antes", conta Joanna.

Reconhecer, porém, a relevância da internet no debate, inclui reconhecer os possíveis desserviços. Nos últimos anos, o termo “cultura do cancelamento” foi popularizado para definir situações em que um famoso é denunciado por alguma atitude preconceituosa ou até criminosa e grupos de pessoas optam por boicotá-lo ou “cancelá-lo”. Mas será que esse mecanismo é realmente funcional?

“Eu acho que o cancelamento é uma das muitas facetas do debate, mas me parece uma faceta pueril, porque o cancelamento é uma questão de percepção. Por exemplo, um grupo cancela uma celebridade, mas ela ainda existe na concretude da realidade e, não apenas isso, mas para muitos outros grupos de fãs ela não só não será cancelada como será ainda mais exaltada”, comenta a pesquisadora.

Para finalizar os posts feitos sobre a denúncia, Bieber escreveu: "Toda acusação de abuso sexual deve ser levada muito a sério e é por conta disso que minha resposta era necessária. Contudo, essa história é factualmente impossível e por isso estarei trabalhando com o Twitter e as autoridades para tomar ações legais".

“Não cabe a mim dizer se usar a internet para fazer denúncias é certo ou errado, pois, entre outras coisas, envolvem questões legais”, enfatiza Joanna. “Mas eu acho muito importante que a gente sempre aprimore o debate, que exista espaço para apontar os problemas nos discursos e atitudes, se vai ser cancelamento ou não, é uma questão de como é feito esse chamado”, finaliza.

    Veja Também

      Mostrar mais