Tamanho do texto

Espalhados por oito espaços públicos de São Paulo, retratos mostram belezas que a doença que atinge 60 mil brasileiras por ano não foi capaz de esconder

Mulher posa para foto em campanha do outubro rosa arrow-options
Foto: Jaiel Prado/Simone Silvério
Neste outubro rosa, mostra fotográfica “Mulheres no Espelho” acontece em oito espaços públicos de São Paulo e reúne 15 fotos de mulheres que estão em tratamento do câncer

A importância do diagnóstico precoce do câncer de mama e a recuperação da autoestima das mulheres em tratamento por causa da doença são temas da mostra fotográfica "Mulheres no Espelho". A exposição entra em cartaz nesta terça (1º) e será realizada em oito espaços públicos de São Paulo, incluindo estações de metrô, shoppings, o Hospital Santa Marcelina, a Galeria Studio Trend (Alto de Pinheiros) e até no Sport Clube Corinthians. 

A data de realização foi escolhida em alusão ao Outubro Rosa, campanha de conscientização que tem como objetivo principal alertar a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama . Para dar vida e ilustrar a campanha foram sorteadas 15 mulheres diagnosticadas com câncer de mama e que estejam em tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). 

Leia também: Mudança na dieta pode reduzir resistência do câncer de mama à quimioterapia

A aposentada Edi Garrido, de 68 anos, costuma dizer que a paixão pelo Corinthians salvou a sua vida. Em novembro de 2017, ela recebeu um e-mail descrevendo que tinha sido sorteada para ganhar uma camisa oficial do time do coração, caso realizasse o exame de mamografia na Arena Corinthians, estádio do clube paulista. 

Mulheres fotografadas em campanha para o outubro rosa arrow-options
Foto: Jaiel Prado/Simone Silvério
Ao lado esquerdo da imagem, Edi Garrido, posa sorridente para fotógrafo

“Eu recebi um kit com algumas peças ao chegar lá. Não veio a camisa oficial, mas já que estava no local decidi fazer o exame na mama nos carros itinerantes que estavam lá. Em pouco tempo, eles já identificaram uma mancha. Depois da ultrassom, uma médica me disse que eu estava com câncer, mesmo sem ter feito a biópsia, e no momento não acreditei”, relembra a aposentada. Edi não fazia exames de mama há quatro anos. 

A minha força de vontade foi a minha cura"- Edi Garrido

Após a confirmação oficial de que estava doente, ela não ficou desesperada, mesmo com a família abalada com a notícia. Edi destaca ainda que a personalidade a ajudou a não olhar a vida só pelo lado negativo.

“As pessoas choravam e eu ficava dizendo que não era o fim do mundo, não ia morrer. A minha força de vontade foi a minha cura”, disse. Aos domingos, parte do tratamento é dentro da Arena Corinthians, onde ela assiste aos jogos do time favorito. Em 2018, ela fez a primeira cirurgia e o resultado foi positivo. 

Edi nem acreditou quando recebeu o convite para participar da exposição fotográfica do Outubro Rosa para ser, pela primeira vez, fotografada profissionalmente. “Foi uma surpresa muito agradável, passamos o dia em Barueri e fui muito elogiada porque sou sorridente e todos gostavam disso. Foi uma situação nova, mas leve e ótima para a auto estima de quem está se tratando do câncer”, avalia Edi. 

Fotografia de mulher embaixo d'água para exposição do outubro rosa arrow-options
Foto: Carla Durante
"Gostaria de repetir esse dia de diva", diz Cristina

Ansiosa pela estreia da exposição para enfim poder olhar as fotografias expostas, a empresária Cristina Patrícia de Aguiar, de 44 anos, sintetizou o dia em que foram fotografadas como um “renascimento”.

Temos certas limitações e isso ocasiona o afastamento"- Cristina Patrícia de Aguiar

“Foi um presente ser convidada, trocar experiências com tantas mulheres e ainda ser clicada debaixo d’água”, comenta. Para ela, o câncer de mama e o tratamento deixam a mulher debilitada e muitas vezes isolada e por isso a importância de estar nesse grupo das mulheres fotografadas. 

“Temos certas limitações e isso ocasiona o afastamento. No meu caso foram dois anos, entre diagnóstico e tratamento”, fala Cristina, que gostaria de repetir “o dia de diva”. A mostra, além de alertar sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama, promove o aumento da autoestima nas mulheres que estão em tratamento. 

De acordo com os dados do INCA – Instituto Nacional de Câncer, ligado ao Ministério da Saúde, em 2018 o Brasil registrou 59.700 novos casos de câncer. Esse número coloca o câncer de mama na liderança isolada de novos casos diagnosticados em mulheres.

Duas mulheres com câncer de mama em fotografia para campanha arrow-options
Foto: Jaiel Prado/Simone Silvério
Para dar vida e ilustrar a campanha foram sorteadas 15 mulheres diagnosticadas com câncer de mama e que estejam em tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS)

Cristina Gomes, presidente do Instituto Viver Hoje e idealizadora do projeto, conta que criou a mostra fotográfica em 2016 e anualmente seleciona um hospital público para sortear as mulheres. “É um projeto para priorizar as pacientes dos SUS, que são as que mais precisam. A gente verifica quem gostaria de participar e faz o sorteio”, detalhou. 

Leia também: Comentário desagradável do marido faz mulher descobrir câncer de mama

 “É um verdadeiro dia de princesa”, descreve Cristina ao contar a reportagem sobre os bastidores do ensaio fotográfico. “Temos maquiagem, um buffet legal e atividades de relaxamento. Tudo para fazer o dia especial porque a nossa ideia é desmistificar o câncer de mama e com a exposição levar o tema para todas as pessoas”, explica. 

Mulher participa de mostra fotográfico para o outubro rosa arrow-options
Foto: Carla Durante
“Faz um bem tão grande passar um dia assim, de princesa", disse Sandra

De acordo com o Instituto Viver Hoje desde o lançamento, nos anos 1990, a Campanha Contra o Câncer de Mama, cresce pelo mundo com o objetivo de alertar, chamar ao autoexame e à necessidade de controle rigoroso assim como compartilhar informação, apoio e carinho.

A faturista Sandra Aparecida Bezerra, de 36 anos, foi diagnosticada aos 32 e sabe como a doença tem o poder de derrubar alguém. “Acaba com os nossos sonhos, só pensamos na morte. Mas, após algum tempo, entendi que tudo passa e a gente acorda para a vida, se anima e recebe uma outra chance de viver”, analisa. 

Sandra topou o desafio de colocar um vestido roxo para entrar dentro da piscina durante a sessão de foto. “Faz um bem tão grande passar um dia assim, conhecer tantas histórias de vencedoras, estou com a expectativa muito alta para o resultado final”, conta. 

Além de prestigiar a exposição, que segue até o dia 31 de outubro, o público poderá conferir em vídeos os depoimentos das 15 mulheres sobre os maiores desafios no processo de superação da doença. 

Acaba com os nossos sonhos, só pensamos na morte. Mas, após algum tempo, entendi que tudo passa e a gente acorda para a vida"-Sandra Aparecida Bezerra

As protagonistas do ensaio foram clicadas pelos fotógrafos profissionais Simone Silvério, Jaiel Prado e Carla Durante. A mostra tem apoio cultural da Viacolor, para impressão das fotografias, da Loja Arthur Caliman, doação dos vestidos e do Hospital Santa Marcelina de São Paulo, além de voluntários.

Quem não conferir a exposição em outubro, ainda poderá ter acesso à mostra na estação Fradique Coutinho de 1 a 30 de novembro. Além de São Paulo, a mostra estará em cartaz na cidade de Mirinzal, no Maranhão.

Exposição - Mulheres no Espelho - "Força e Renascimento"

 Datas:  1 a 31 de outubro

 Locais:  Galeria Studio Trend - R. Costa Carvalho, 213 - Pinheiros, São Paulo – SP 

Hospital Santa Marcelina -  R. Santa Marcelina, 177 - Vila Carmosina, São Paulo – SP

Sport Club Corinthians - R. São Jorge, 777 - Vila Moreira, São Paulo - SP

Shopping Raposo - SP-270, KM 14.5 - Jardim Boa Vista (Zona Oeste), São Paulo - SP

Shopping Anhanguera- R. Jean Anastace Kovelis, 123 - Ipês (Polvilho), Cajamar - SP

Atrium Shopping -Rua Giovanni Battista Pirelli, 155 - Vila Homero Thon, Santo André - SP

Metrô Faria Lima