No dia 17 de julho, a youtuber Dora Figueiredo  compartilhou um vídeo em seu canal com o título "Eu vivi um relacionamento abusivo". Na gravação, ela relata a experiência com um ex namorado, relembra momentos em que se sentiu reprimida por ele e, por fim, conta como saiu de uma relação tóxica que abalou seu psicológico. 

Leia também: 5 coisas que parceiro algum pode exigir que você faça em um relacionamento

No Twiter, mulheres relatam suas experiências em relacionamento abusivo e mostram que isso ocorre de várias maneiras
shutterstock
No Twiter, mulheres relatam suas experiências em relacionamento abusivo e mostram que isso ocorre de várias maneiras

Nesta terça-feira (30), o assunto voltou a ter destaque quando Dora compartilhou no Twitter que começou a receber diversos relatos de mulheres que viveram um relacionamento abusivo e lançou a hashtag #MeuExAbusivo para mais pessoas terem acesso à essas história. 

A youtuber também foi a primeira a usar a hashtag . "#MeuExAbusivo falou que não queria ficar mais comigo porque não acreditava que eu iria melhorar da minha depressão, me deu um mês pra melhorar e dois dias depois, quando a única pessoa que estava próxima teve uma crise, ele terminou comigo. Fiquei meses querendo me matar depois disso", escreveu. 

Depois dela, outras mulheres também compartilharam suas histórias sobre ex-namorados que foram abusivos através de xingamentos: 


Homens que queriam controlar tudo o que as namoradas faziam:


Você viu?

E que faziam as mulheres se sentirem mal por serem elas mesmas:


Apesar da maior parte dos relatos ser sobre ex-namorados, algumas pessoas mostraram que a relação abusiva também pode ser em uma amizade, um relacionamento homossexual e, inclusive, ser uma mulher:




Leia também: Vale a pena manter um relacionamento "ioiô"? Confira resposta de especialista

O que a hashtag diz sobre viver em um relacionamento abusivo?

Os relatos mostram que uma relação abusiva não tem um "perfil" ou "tipo". Como a própria Dora Figueiredo diz em seu vídeo, ele começa "lindo" e de forma "sutil", como todo início de namoro. "A pessoa te idolatra, fala que você é uma mulher incrível e aos poucos isso vai se perdendo no meio de algumas ‘dicas’ de como você poderia se comportar melhor", disse.

O mais importante é, antes de mais nada, saber que nas relações tóxicas existe um padrão de comportamentos destrutivos e violentos para controlar a vida do parceiro. Essa violência pode ser pisicológica, moral, física, sexual e até patrimonial. Se você acha que pode estar em um relacionamento abusivoidentifique os sinais e procure uma rede de apoio. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários