Tamanho do texto

Autoridades mostram preocupação com a saúde mental de jovens que usam as redes com frequência; pesquisa indica que Instagram é a rede mais nociva

Uma adolescente de 16 anos, que morava no estado de Sarawak, na Malásia, cometeu suicídio na segunda-feira (13) depois de  fazer uma enquete com seguidores do Instagram. No post, ela questionou se deveria viver ou morrer e pediu para que as pessoas "a ajudassem escolher". A maior parte delas votou a favor de sua morte.

Instagram
shutterstock
A jovem compartilhou uma enquete no Instagram questionando aos seguidores sobre se deveria morrer ou viver


Segundo informações da agência de notícias AFP, a jovem fez a seguinte postagem na história  Instagram : "É muito importante. Me ajudem a escolher entre D/L". A letra D significa "death" (morte em inglês), já o L é para "life" (vida).

Junto ao texto ainda havia uma enquete para que os seguidores votassem. A polícia local afirmou que 69% das pessoas votaram pela morte e 31% pela vida.

Um deputado da Malásia pediu uma investigação para evitar casos semelhantes e autoridades do país, como o ministro da Juventude e Esportes, Syed Saddiq, expressou preocupação com a saúde mental dos jovens no país. 

Ching Yee Wong, responsável pela comunicação da empresa na Ásia, transmitiu seus pêsames à família e afirmou que sabe "da importante responsabilidade de se assegurar que as pessoas que usam a rede social  se sintam seguras e apoiadas".

Instagram é rede social mais nociva à saúde mental

Uma pesquisa realizada Royal Society for Public Health, uma instituição de saúde pública do Reino Unido, em parceria com o Movimento de Saúde Jovem, mostrou que o Instagram é a  rede mais mais prejudicial para a mente dos jovens.

No total, 1.479 pessoas entre 14 e 24 anos foram entrevistadas. Os resultados indicam que 90% dos jovem dessa faixa etária usam redes sociais mais do que qualquer outro grupo — o que os torna ainda mais vulneráveis a sofrer com os efeitos colaterais.

Segundo estudo, os jovens avaliados estão ansiosos, deprimidos, com a autoestima baixa, sem sono. A razão disso tudo pode estar ligada ao compartilhamento de fotos pelo Instagram , que impacta negativamente a autoimagem e a aumenta o sentimento chamado de FOMO ("fear of missing out"), ou seja, o medo que os jovens têm de ficar por fora dos acontecimentos.

    Leia tudo sobre: Instagram