Tamanho do texto

Só faz sentido depilar uma parte do corpo quando ela tem pelos, certo?

Propagandas que anunciam métodos de depilação são bastante frequentes – e talvez esse seja o motivo pelo qual as pessoas não questionam a grande falha que está presente nelas: não há pelos para depilar. Enquanto anúncios voltados para homens mostram as lâminas entrando em ação em rostos barbados, os produtos direcionados para mulheres entram em contato com pernas e axilas que já estão perfeitamente lisinhas. Com o objetivo de acabar com o tabu acerca de pelos pubianos, porém, uma marca norte-americana criou um projeto que está dando o que falar.  

Leia também: Blogueira recomenda usar azeite na hora de depilar a virilha e viraliza

Apesar de pelos pubianos serem algo normal para todos os corpos, os femininos ainda são considerados tabu
Reprodução/Instagram: @ladyist
Apesar de pelos pubianos serem algo normal para todos os corpos, os femininos ainda são considerados tabu

Com o “Project Body Hair”, a marca Billie – que não está presente em lojas e só funciona por um serviço de assinatura online – propõe lâminas de depilação feitas com materiais de origem natural e valores acessíveis (sem o “pink tax”, que torna produtos exclusivamente femininos muito mais caros que o necessário). Apesar das vantagens propostas, porém, o que tem chamado atenção mesmo são as propagandas da marca, que retratam modelos – pasmem – com pelos pubianos .

As fotos dos anúncios foram divulgadas no Instagram pela fotógrafa da campanha, Ashley Armitage, que não é estranha a essa temática. Em seus trabalhos, a profissional costuma retratar tanto modelos que se enquadram no padrão de beleza estabelecido pela sociedade – ou seja, mulheres brancas e magras – quanto as menos representadas pela mídia, como gordas, negras e as que não se preocupam em mostrar axilas, pernas e virilhas peludinhas.

A post shared by ASHLEY ARMITAGE (@ladyist) on

Embora a maior parte dos internautas esteja demonstrando apoio às fotos da campanha, comentando coisas como “isso faz com que eu me sinta melhor sobre meus pelos” e “isso é muito libertador e incrível”, trabalhos mais antigos da fotógrafa já chegaram a ser denunciados e tirados do ar. Conforme ela mesma explica, as denúncias às postagens ocorrem apenas pelo fato de elas retratarem algo que todo mamífero tem: pelos. 

Leia também: Mulher para de se depilar e compartilha jornada de aceitação nas redes

A post shared by ASHLEY ARMITAGE (@ladyist) on

“Essa foto foi denunciada e deletada NOVAMENTE mesmo sendo um post velho e sem quebrar nenhuma das regras do Instagram. Sempre que posto foto de uma virilha com pelos pubianos, recebo os mesmos comentários odiosos e ignorantes repetidamente. ‘Vulgar’, ‘nojento’, ‘anti-higiênico’. Que diferença existe entre esse tipo de pelo pubiano [feminino] e o masculino?”, questiona a fotógrafa ao repostar a foto acima, que fora denunciada e deletada de seu perfil no Instagram.

Nesta e em outras postagens, Ashley também deixa claro que, para ela, a depilação (assim como o método escolhido para fazê-la) é uma decisão particular de cada um. “Pelos são pelos. É tudo saudável e natural. Também é uma escolha individual decidir o que fazer com o próprio corpo. Quer raspar? Vá em frente. Quer depilar com cera? Ótimo! Quer deixá-los crescer? Ótimo também! Feminismo é ter a habilidade de escolher”, afirma.

A post shared by ASHLEY ARMITAGE (@ladyist) on

Essa também é a filosofia da marca, que, em um vídeo de apresentação, se posiciona contra o fato de que as pessoas ignoram a presença de pelos pubianos em corpos femininos. “Pelos. Todo mundo tem, até mulheres. O mundo finge que eles não existem, mas eles existem. Nós checamos”, expõe um vídeo de apresentação das lâminas que também joga a decisão de se depilar para as mulheres. “Como, quando e SE você quiser raspar os pelos, estaremos aqui”, afirma o vídeo.

Afinal, remover os pelos pubianos faz bem ou mal?

É comum que as pessoas se refiram a pelos púbicos como algo anti-higiênico – especialmente os femininos –, mas, segundo especialistas, isso não é necessariamente verdade e tudo depende de como se cuida deles. Conforme explica a ginecologista Mariana Maldonado , os pelos da região íntima têm a mesma função que cílios e sobrancelhas: proteger a área do corpo em que estão. Quando são completamente retirados, essa “barreira” física contra bactérias é eliminada, aumentando a vulnerabilidade da vulva.

Segundo a especialista, o ato de depilar a região íntima faz com que a pele da vulva entre em contato direto com sabonetes e com as roupas íntimas, algo que pode alterar a flora da mucosa e, por consequência, desencadear doenças. Além disso, possíveis cortes ocasionados pelas lâminas e o uso de ceras de má qualidade também podem fazer mal à pele da região, que é mais fina e sensível.

Para a ginecologista, o melhor a se fazer com os pelos pubianos é apenas apará-los, mas, para quem realmente não gosta de tê-los ali, ela aconselha ao menos evitar lâminas velhas ou enferrujadas ou checar bem a procedência da cera. Quem não gosta de depilação, porém, também precisa tomar certos cuidados quando o assunto é higiene íntima.

Leia também: 4 coisas que você deve parar de fazer com a sua vagina (e 4 que você deve fazer)

Conforme explica Flavia Tarabini , ginecologista da clínica André Braz, a falta de uma higiene íntima adequada pode fazer com que os pelos pubianos acumulem resíduos de menstruação, urina e fezes, algo que pode tornar desagradável o odor natural da vagina. A limpeza da vulva, segundo a especialista, deve ser feita uma vez por dia com um sabonete de pH próximo ao vaginal, se resumir apenas à parte externa e sem esfregar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.