Tamanho do texto

Ilka Brühl sofreu bullying quando criança por conta de sua aparência, mas hoje ela superou isso e incentiva diversidade e aceitação no mundo da moda

Está claro que o mundo da moda está sendo obrigado a se reinventar e que as pessoas estão exigindo cada vez mais diversidade e representatividade. A jovem alemã Ilka Brühl busca contribuir para essa luta. Modelo , ela nasceu com uma má formação rara no rosto .

Leia também: Jovem com epidermiólise bolhosa vira modelo e faz sucesso no Instagram

A modelo Ilka Brühl defende que sua má formação é o que a torna única e defende a diversidade
Instagram
A modelo Ilka Brühl defende que sua má formação é o que a torna única e defende a diversidade


A modelo , que hoje tem 26 anos, nasceu com displasia ectodérmica, uma condição genética que provoca fendas faciais, ou seja, espaços do rosto em que o crânio e a pele não se formam. “Meu canal lacrimal também não se formou corretamento por conta dos problemas no meu nariz, então meu olho direito não era umidecido como deveria, prejudicando a minha visão”, relatou ela ao Project Grenzenlos.

Como consequência, suas vias aéreas também não se desenvolveram completamente e ela precisou passar por uma série de cirurgias de reconstrução quando era pequena.

A post shared by Ilka Brühl (@ilkabruehl) on


A infância de Ilka foi marcada por episódios de bullying por conta de sua aparência e idas ao hospital para realizar as operações.

Leia também: "O termo 'plus size' está se tornando irrelevante", diz modelo sobre a indústria

Mas tudo mudou em 2014, quando a alemã decidiu fazer sua primeira sessão fotográfica, por conta e com a ajuda de alguns amigos, para possivelmente montar um portfolio e dar início a uma carreira como modelo, algo que ela sempre quis fazer.

“Achava que iriam rir de mim, mas recebi tanto feedback positivo, que foi me dando coragem para me mostrar para o mundo do jeito que sou”, disse ela.

Ela conta também ter aprendido que todo defeito e todo “erro” é parte dela e que não há problema em tê-los. “Modelar foi um tipo de ‘auto-terapia’ para que eu aceitasse as minhas diferenças.”

Empoderamento

Hoje, bem resolvida com sua aparência, Ilka busca espalhar positividade, empoderar outras pessoas e “lembrar o mundo que todo ser humano é lindo”. A jovem compartilha suas fotos em ensaios no Instagram e tem quase 20 mil seguidores.

A post shared by Ilka Brühl (@ilkabruehl) on


Na rede social, na qual ela escreve majoritariamente em alemão, ela recebe muito apoio de seus seguidores, que constantemente elogiam sua beleza e seu jeito sempre alegre.

Leia também: Modelo plus size faz ensaios sensuais e dá lição de autoestima nas redes sociais

“Só existe uma forma de ser feio: ter um caráter feio. Ninguém precisa se esconder por conta da aparência!”, defende a modelo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.