Tamanho do texto

"Minha escola basicamente me disse que a educação dos meninos é muito mais importante do que a minha", escreveu Lizzy Martinez nas redes sociais

Lizzy Martinez, de 17 anos de idade, foi à escola com uma camiseta larga e sem sutiã. Porém, o que ela pensou que seria apenas um dia comum no colégio Brander River High, na cidade de Bradenton, Flórida, terminou com uma visita à enfermaria e com a jovem sendo obrigada a colar adesivos nos mamilos — porque ela estava sendo uma "distração para os outros estudantes". 

Leia também: Blogueira lança hashtag para melhorar autoestima de mulheres com seios "caídos"

Lizzy Martinez foi obrigada a colar adesivos nos mamilos para não distrair menonos porque estava sem sutiã
Reprodução/Facebook/Lizzy Martinez
Lizzy Martinez foi obrigada a colar adesivos nos mamilos para não distrair menonos porque estava sem sutiã



Em entrevista ao "Yahoo Lifestyle", Lizzy conta que a decisão de não usar sutiã foi porque ela estava com os ombros queimados por causa do sol. A adolescente foi chamada na sala da diretora, Violeta Belazquez, porque, aparentemente, os meninos da sala dela estavam rindo e comentando com os amigos sobre o fato. "Eu nunca ouvi ninguém [comentando]", conta. 

De acordo com o relato, a jovem foi obrigada a colocar uma camiseta por baixo, levantar e andar pela sala da direção. Não satisfeita com a solução, a diretora pediu que a enfermeira pegasse quatro adesivos usados como curativos, pediu que Lizzy fosse ao banheiro e fizesse um "X" com os adesivos sobre os mamilos. 

No Twitter, a jovem relatou o caso e recebeu mais de 49 mil compartilhamentos e 13 mil curtidas. "Minha escola basicamente me disse que a educação dos meninos é muito mais importante do que a minha e que eu deveria estar envergonhada do meu próprio corpo ", escreveu.  


Leia também: Biquíni com estampa de mamilos chama a atenção para censura a topless

Polêmica do sutiã

A mãe da adolescente, Kari Knop, também escreveu uma publicação no Facebook contando sobre o caso. Ela recebeu uma mensagem da filha afirmando que estava se sentindo "completamente sexualizada e muito constrangida" e saiu do trabalho para buscar Lizzy no colégio.

Ela conta que teve três conversas com a diretora e afirma ter ouvido diferentes variações da mesma história: a filha não violou nenhum código de vestimenta da escola e não seria advertida por causa disso, mas era uma "distração" para os alunos. 

"Eles me falaram que ela [Lizzy] foi mandada à sala da direção porque várias crianças estavam falando sobre ela... Então eu perguntei se alguma dessas crianças que estavam praticando bullying (por estarem falando dela) também foram chamadas pela diretora, rapidamente a versão mudou de 'falando' para 'olhando'... Perguntei se alguém pediu para que alguma delas olhassem para o rosto da minha filha e não para os seios... Silêncio", relata. 

"Perguntei se os meninos são mandados para a direção para colocar uma camiseta por baixo quando ficam com os mamilos duros. Silêncio. Perguntei se ela pede que os meninos que estão vestindo os shorts de times de basquete e cuecas boxer se levantem e andem pela sala. Ela me respondeu um 'não' exagerado e eu disse 'claro que não, porque isso seria inapropriado, como também foi inapropriado quando você pediu que a minha filha fizesse o mesmo'". 

Em resposta ao caso, a escola admitiu que a diretora poderia ter solucionado o caso de  outra forma e que a abordagem foi errada. "Esse assunto deveria ter sido resolvido de um modo diferente no âmbito escolar e as medidas de correção estão sendo tomadas para que não haja nova ocorrência caso o assunto seja discutido novamente no futuro", diz a nota. 

E você, leitora, qual a sua opinião sobre a polêmica de usar ou não sutiã? 


Leia também: Sutiã é realmente necessário? Algumas mulheres mostram que não

Constrangimento à aluna

Depois do acontecido, Lizzy pediu para que a mãe levasse a história para as mídias locais, abordando o fato do colégio estar constrangendo meninas por causa de seus corpos. "A diretora me disse para me poupar da minha própria vergonha. Se isso realmente aconteceu, se outros estudantes estavam falando de mim, isso deveria ter sido levado adiante, não eu, porque eu não era o problema", diz ao "Yahoo Lifestyle".

"Me senti como se eles estivessem me constrangendo para que eu acreditasse que eu era o problema porque eu tenho seios maiores do que a maioria das meninas da minha escola", comenta. "Não que eu vá começar uma revolução sobre isso, mas se as garotas não se sentem confortáveis em usar sutiã , ou qualquer que seja o caso, não acho que elas devem ser obrigadas à isso", finaliza. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.