Tamanho do texto

"Quando parei de usar base nas minhas mãos e muita gente viu, elas não queriam me tocar. A máscara era tudo para mim", diz Denise Chamberlain

Aos 10 anos de idade, Denise Chamberlain recebeu o diagnóstico de vitiligo, uma condição que causa despigmentação da pele. Com manchas espalhadas por diversas partes do corpo, como braços, pés, pernas e principalmente no rosto, a mulher passou anos com vergonha da própria aparência e começou a usar maquiagem  para se esconder.

Leia também: Mulher responde comentário sobre "ter um marido bonito" sendo gorda e viraliza

Denise Chamberlain usou maquiagem por 30 anos para cobrir as manchas de vitiligo no rosto por ter vergonha da aparência
Instagram/denisesawyerchamberlain/Reprodução
Denise Chamberlain usou maquiagem por 30 anos para cobrir as manchas de vitiligo no rosto por ter vergonha da aparência


Depois do diagnóstico de vitiligo , Denise passou 30 anos se recusando a sair de casa sem maquiagem, principalmente porque sentia medo de que as pessoas a encarassem na rua. "Eu aprendi a esconder as manchas tão bem que as pessoas não sabiam da minha condição. Eu não queria que as pessoas me fizessem perguntas e me olhassem estranho", diz em entrevista ao canal "Fox News".

"Aos 24 anos, quando parei de usar base nas minhas mãos e muita gente viu, elas não queriam me tocar. Isso me fez uma pessoa que não queria ser notada. A máscara era tudo para mim", conta. Durante esse tempo, ela passava mais de uma hora e meia por dia escondendo as manchas, gastava cerca de R$1300 por mês com cosméticos e teve depressão por odiar a aparência. 

Leia também: Modelo plus size rebate comentários negativos em foto com roupa de ginástica

Com o passar dos anos, Denise decidiu tentar deixar os produtos de lado e aceitar a beleza natural. A primeira tentativa foi há cinco anos, mas ela teve um ataque de pânico dentro de um supermercado e se sentiu muito exposta, como se "todos estivessem a encarando".  Porém, em 2016, ela tomou coragem depois de conhecer uma criança em um grupo de apoio para pessoas com vitiligo que também tinha dificuldades em aceitar a aparência.  

Processo de aceitação

A decisão de Denise foi ajudar e encorajar aquela menina do grupo de apoio a se aceitar, mas para isso ela também precisava passar por um processo pessoal de aceitação . Assim, o primeiro passo foi parar de usar maquiagem.

"Dois anos atrás eu estava observando como conseguia me maquiar rápido e pensei 'preciso aprender a me amar'", disse. "Depois, quando essa menina falou sobre os problemas que estava enfrentando, lavei meu rosto e tirei a maquiagem. Agora me sinto livre." 

Leia também: Mulher para de se depilar e compartilha jornada de aceitação dos pelos nas redes

Atualmente, Denise está participando de um projeto fotográfico que celebra a diversidade feminina e participa de alguns desfiles para levantar o debate sobre a condição de pele e inspirar outras pessoas.

Ela não sente mais vergonha de que as pessoas a encarem. "Não consigo contar quantas pessoas vem falar comigo sobre a mancha em formato de coração que tenho no rosto — a reação está sendo incrível", comenta. "O vitiligo me deixou mal por tanto tempo e eu não conseguia seguir a minha vida. Agora, eu me sinto uma pessoa completamente diferente."

    Leia tudo sobre: maquiagem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.