Tamanho do texto

Depois de cenas do programa que mostram Kaysar pedindo para Patrícia parar com as investidas, internautas levantaram debate sobre assédio sexual

Na terça-feira (6), uma nova polêmica tomou conta da casa do "BBB 18" depois que Patrícia e Kaysar trocaram carinhos no quarto do líder. Entretanto, o que repercutiu nas redes sociais não foi o fato do casal ter ficado junto, mas a forma que isso aconteceu, principalmente porque, debaixo do edredom, Kaysar pediu repetidas vezes para Patrícia parar com as investidas. 

Leia também: É normal não lembrar de abuso sexual como em "O Outro Lado do Paraíso"?

No BBB 18, Patrícia insiste em ter relações sexuais, enquanto Kaysar pede para a sister parar com as investidas
Reprodução/TV Globo
No BBB 18, Patrícia insiste em ter relações sexuais, enquanto Kaysar pede para a sister parar com as investidas

O diálogo entre os integrantes do " BBB 18 " acontece depois de uma troca de beijos entre Kaysar e Patrícia. "Chega, por favor, você não entende?", pergunta o sírio. "Não estamos fazendo nada de errado", rebate a moça. "Por favor, de verdade. Eu estou falando para você ir para a sua cama. Para mim tem problema. Chega, por favor", disse Kaysar. "Você não me quer?", pergunta Patrícia. "Chega, por favor", ele pede novamente. Ainda assim, os dois se cobrem com o edredom e é possível ouvir respirações ofegantes. "Mais calma?", pergunta Kaysar depois de um tempo.

A cena abriu um debate sobre assédio sexual depois que alguns internautas passaram a afirmar nas redes que o "brother" não estava confortável com aquela situação e só "cedeu" às investidas por causa da insistência de Patrícia. Assista a cena abaixo e veja alguns dos comentários: 





E para você, leitora, o que aconteceu entre o casal foi assédio? Vote na enquete:


Leia também: Carinhos, conversas, beijo: o que é uma traição? Lucas traiu a noiva no BBB?

Mulheres podem praticar assédio?

Outra polêmica que envolve o caso é a questão da pessoa que pratica assédio ser mulher. Infelizmente, é bastante comum ver os casos ao contrário, mas Oswaldo Rodrigues Jr., psicólogo e especialista em sexualidade do Instituto Paulista de Sexualidade (INPASEX), afirma a importância de lembrar que, independente do gênero, casos de assédio acontecem. 

"Uma mulher que insista em uma tentativa de relacionamento com um homem que não quer este relacionamento estará assediando sexualmente este homem, de modo igual se invertêssemos a situação de gênero", diz. 

De acordo com o profissional, uma pessoa que pratica assédio não vai entender que está fazendo algo de errado, mesmo que a situação pareça inadequada para a sociedade ou seja fora da lei. Ele explica que muitas situações podem ser vistas como "normais", sem que o assediador considere que são formas de invasão de privacidade e, inclusive, pode haver  insistência mesmo que a outra pessoa não queira. 

Leia também: Brigas entre Marcos e Emilly no "BBB" aquecem debate sobre violência 

Assim, para quem é assediado, isso pode produzir uma série de respostas comportamentais de forma que existam pessoas que enfrentem a situação e também aquelas que apenas não conseguem reagir. "A questão é de como esta mesma pessoa vivenciou e reagiu a situações semelhantes no passado. Isso implica, de modo geral, o quanto uma pessoa aprendeu a lidar com estas situações de assédio."

Tanto no ocorrido com Kaysar e Patrícia durante o BBB 18, quanto em outras situações, o profissional diz que o ideal é explicar para ambos, quem pratica e quem sofre assédio ou mesmo se sente incomodado com uma situação, o que está acontecendo e buscar uma mudança para que isso não seja algo recorrente. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.