Tamanho do texto

Mikayla Holmgren se tornou a primeira pessoa com síndrome de Down a participar de um concurso de beleza nacional nos Estados Unidos

Mikayla Holmgren é uma jovem de 22 anos e chamou atenção de todos os holofotes no Miss Minnesota USA, um concurso de beleza para escolher a mulher que representaria o Estado do Minnesota na edição nacional. Mikayla tem síndrome de Down e se tornou a primeira pessoa com a condição a competir em um concurso nacional do Miss USA.  

Leia também: Modelo promove ensaio inspirador de irmã com Síndrome de Down

A jovem com Síndrome de Down foi o centro das atenções no concurso de beleza Miss Minnesota USA
Reprodução/Facebook
A jovem com Síndrome de Down foi o centro das atenções no concurso de beleza Miss Minnesota USA


Além de fazer história no evento e mostrar a representatividade das pessoas com síndrome de Down , Mikayla também recebeu dois prêmios, o "Spirit of Miss USA Award" (Espírito da Miss USA), que é determinado pelos juízes com base em cartas recebidas por amigos e familiares das participantes, e o "Director's Award" (Prêmio do Diretor), em reconhecimendo da jovem que mais se destacou no concurso. 

"Eu estava super chocada, eu estava chorando. Eu fui de um concurso para pessoas com necessidades especiais para o maior concurso do mundo. É meio louco", disse ela ao portal americano "BuzzFeed News".

Em 2015, Mikayla já havia participado de um concurso anterior e, inclusive, foi vencedora do Minnesota Miss Amazing, um concurso para mulheres com necessidades especiais. Mas a jovem sabia que queria enfrentar um desafio maior. Então, quando ela recebeu uma carta no correio sobre Miss Minnesota em abril desse ano, insistiu por dias para que a mãe a deixasse se candidatar.

"Eu escrevi que ela tinha síndrome de Down e não pensei que eles iriam escolhê-la, mas eles queriam que ela fizesse parte do concurso", disse a mãe, Sandi Holmgren. "Eu não percebi que estava envolvido com o Miss USA e o Miss Universo e demorou algumas semanas para perceber que era algo grande."

Mikayla dança desde os 6 anos e diz que adora se apresentar na frente das multidões. "Dançar é uma boa saída para mim. É como eu me expresso. É meu talento e quero mostrar às pessoas o que posso fazer e como posso dar mais."


Leia também: “Tenho síndrome de Down e cuido da minha própria vida”

Atualmente, ela está estudando no programa de Aprendizagem e Desenvolvimento Inclusivo da Universidade de Bethel e planeja se formar em 2018. Ela mora no campus, faz estágio no Centro de Assistência à Infância da Universidade e também é embaixadora dos "Melhores Amigos", uma organização sem fins lucrativos que promove relacionamentos e habilidades para pessoas com deficiência intelectual e de desenvolvimento.

Representatividade

Denise Wallace Heitkamp, ​​diretora executiva do estado do Minnesota, disse ao entregar o Spirt Award para Mikayla: "Você faz as pessoas sorrirem cada vez que você conversa, torce, sorria e dança. Você exala o espírito de Miss USA sempre sendo fiel consigo mesma e colocando os outros em primeiro lugar. Você tem altruísmo, humildade e a capacidade de superar obstáculos com um sorriso no rosto e emoção em seu coração."

Segundo a "Pioneer Press", várias mulheres levaram as filhas, que também têm a condição genética, para ver a jovem participar do evento. "Fiquei sobrecarregada", disse Lana Beaton, que levou a filha de dois anos, Clara, para ver o desfile. "Eu estava cheia de tanta esperança, alegria e emoção para ela e nosso futuro."


Leia também: Boneca com síndrome de Down é criada para inspirar crianças

Mikayla diz que quer "incendiar a trilha" e mostrar um lado diferente da síndrome de Down, onde mulheres e meninas com deficiências podem participar dos mesmos eventos de beleza e concurso de talentos que qualquer outra pessoa. "Eu tenho um grande futuro", finaliza.